Bolsonaro imita o PSOL outra vez e fica contra intervenção militar no Rio

Provando que seu lado simpático ao comunismo não ficou no passado, como dizem seus fãs, o deputado Jair Bolsonaro mais uma vez deu as mãos ao PSOL e passou a bradar fortemente contra a intervenção militar no Rio de Janeiro.

Deputado pelo Rio há quase 30 anos, Bolsonaro nunca apresentou qualquer esforço em barrar a criminalidade por lá, mas agora que o governo resolveu agir, fazendo justamente o que ele criticava o PT por não fazer, o deputado resolveu ficar ao lado de figuras como Marcelo Freixo e Jandira Feghali outra vez.

Em sua página no Facebook, Bolsonaro fez um discurso parecido com o que foi feito por Gleisi Hoffmann, mas com algumas palavras diferentes. Ele acusou a intervenção de ser “teatral” e falou que ela não resolverá o problema. Ironicamente, criticou o ministro da Defesa por ele ser um “comunista”, embora ele mesmo tenha tentado emplacar Aldo Rebelo e José Genoíno no mesmo ministério há alguns anos, dois comunistas assumidos.

Na postagem, Bolsonaro também afirma que é preciso “mudar as leis”, ignorando intencionalmente que este é o trabalho do poder legislativo ao qual ele representa, não do executivo.

Resumidamente, ficou claro que Bolsonaro não quer que o problema seja solucionado, o que ele quer é ter discurso.

Anúncios

5 comentários sobre “Bolsonaro imita o PSOL outra vez e fica contra intervenção militar no Rio

  1. As incoerências do deputado Bolsonaro são melhor entendidas por seus seguidores e potenciais eleitores. Eu não consigo entendê-lo.
    Quanto ao caos da segurança pública no Rio de Janeiro, por que não deixar o Estado nas mãos dos geniais carnavalescos cariocas, como os da Tuiuti? Eles mostraram no carnaval que entendem de política, reforma da previdência e segurança pública, então eles que resolvam os problemas da bandidagem no Rio de Janeiro.
    Por uma questão de coerência, não devem permitir que o “vampiro” Temer envie tropas de soldados.
    E que as “comunidádi” preocupadas com a reforma da previdência façam sua obrigação: exijam a saída de traficantes de drogas das favelas e denunciem bandidos às autoridades.
    E se aparecer algum artista global “visitando por acaso” a favela, chamem repórteres sensacionalistas.
    Pular o carnaval e falar mal dos governantes é fácil; difícil é fazer sua parte como cidadão.

  2. Ficou mal na fita o Bolsonaro com este discurso, muita gente no RJ, ficou aborrecida com esta atitude dele. Vai perder votos principalmente no meio militar.

  3. Só para registrar, Jair Bolsonaro votou à favor da intervenção. Tem muita matéria “esquisita” por aí induzindo contra o deputado em questão. Cuidado ao dar destaque a essas “matérias” tendenciosas… Estamos de olho contra essas porcas fake news!

  4. Roger, você leu o texto? olha que eu discordo de Jair Bolsonaro, mas eu tive o cuidado de ler e interpretar a declaração que ele deu. ele, cabeça de penico que é, não quer intervenção militar meia-boca. aliás, está para ser confirmado [ou negado] que ele declarou que, se fosse presidente, mandaria metralhar a Rocinha.

Deixe uma resposta