Carlos Bolsonaro defende controle de natalidade ao estilo chinês e depois apaga a postagem

A ideia de controle de natalidade como política de imposição do Estado, não como mera campanha de incentivo, é típica dos regimes totalitários de esquerda. Não é por acaso que tal medida tenha sido adotada na China comunista, na URSS e até mesmo no Cambodja.

O vereador do Rio, Carlos Bolsonaro, entretanto, parece concordar plenamente com esta ideia, inclusive atrelando ela ao programa Bolsa Família. Em uma postagem no seu Twitter, ele disse:

26195323_1970284626571325_5308294613231749456_n.jpg

Há duas contradições aí. A primeira é a própria defesa de uma pauta esquerdista feita por alguém que se diz de direita. A segunda, no caso, é sugerir tal ideia como uma forma de manutenção do programa Bolsa Família, que tanto ele como sua família sempre disseram que deveria ser extinto.

Jair Bolsonaro, o pai de Carlos, na realidade defende esta bandeira há muito tempo, desde quando passava seus dias no Congresso Nacional apoiando comunistas. Isso pode ser visto no acervo da própria Câmara dos Deputados.

O mais curioso é que depois de ser confrontado por alguns internautas, Carlos deletou a postagem.

 

Anúncios

2 comentários sobre “Carlos Bolsonaro defende controle de natalidade ao estilo chinês e depois apaga a postagem

  1. Ele esta de parabéns com esta ideia, quem vive na ditas comunidades sabe a realidade do que acontece la dentro. a quantidade de meninas gravidas, e crianças sem perspectiva alguma de futuro, isto acontece em qualquer bolsão de pobreza de norte a sul deste pais.

  2. Eu acho engraçado. A nova mania agora aqui no Brasil é, entre os grupos de direita, o pessoal ficar tentando definir, de forma totalmente arbitrária, o que “é de direita” e o que “não é”. Grupos mais conservadores acham, por exemplo, que ser ateu ou de qualquer outra religião que não seja cristianismo ou judaísmo, “não é de direita”. Agora, pelo visto, controle de natalidade virou “coisa de esquerda”, também. A coisa funciona mais ou menos assim: se vai contra o que o sujeito pensa ou acredita, então “é coisa de esquerda”.
    Me desculpem, mas controle de natalidade não é política exclusiva nem da direita nem da esquerda. Políticas estatais oficiais de controle de natalidade acontecem quando são necessárias – como na China superpopulosa, por exemplo. Isso não tem nada a ver com ser capitalista, socialista, comunista, de direita ou de esquerda. Por favor, não forcem a barra.
    Olha, eu vou falar uma coisa aqui: a esquerda aqui no Brasil é uma m***, mas do jeito que a nossa direita vai, com esses radicalismos idiotas, não sei não… Dá um desânimo…

Deixe uma resposta