Atrizes francesas se juntam para desmascarar atrizes americanas que protestaram no Golden Globe

Cem mulheres francesas de renome, inclusive a atriz Catherine Deneuve, assinaram um manifesto, publicado no Le Monde, contra o puritanismo que se alastrou pelo mundo depois do caso Harvey Weinstein:

“O estupro é um crime, mas a paquera insistente ou sem sutileza não é um crime, nem o galanteio é uma agressão machista.”

E mais:

“Nos obrigam a falar o que acham correto, e aquelas que se recusam a fazê-lo são acusadas de traição e cumplicidade.”

As signatárias do manifesto se insurgem contra o feminismo que toma a forma de “ódio aos homens e à sexualidade”.

As mulheres, segundo elas, podem “lutar pela igualdade salarial, mas não devem traumatizar-se por causa de importunadores no metrô, mesmo se isso é considerado um delito. As mulheres deveriam ver isso como a expressão de uma grande miséria sexual.”

A escritora Abnousse Shalmani, que assina o manifesto, comparou o feminismo ao stalinismo.

A informação é do portal O Antagonista.

Anúncios

2 comentários sobre “Atrizes francesas se juntam para desmascarar atrizes americanas que protestaram no Golden Globe

  1. É claro que assédio, espancamento, estupro, pedofilia e outras coisas do gênero são abomináveis e isso é fato e a única explicação para essas atitudes machistas vem da doutrinação materna, conforme cenas apresentadas no folhetim das nove (O outro lado do Paraíso).
    Analisando a explanação bem feita por este ícone da tela grande francesa, é coerente a afirmação, pois o que a mídia tenta expor através dos constantes levantes das feminizas, nada mais é, do que reivindicações das rejeitadas, que sem sucesso, culpa os homens pela própria incapacidade de atrair o sexo oposto ou querer viver LUXURIAS das damas da noite de outrora e desconstruir a felicidade das bem amadas.

Deixe uma resposta