Bolsonaro se reúne com líder do Partido Social Liberal para buscar apoio

O desespero do deputado Jair Bolsonaro por apoio se tornou evidente nesta terça-feira, quando se reuniu com o presidente nacional do Partido Social Liberal, Luciano Bivar, que também é deputado federal, a fim de conseguir uma aliança – coisa que ele não tem até agora – para sua eventual candidatura à presidência da República.

Há muitas ironias e curiosidades neste encontro, sendo que a primeira delas é que Bivar preside um partido que tem atacado Jair Bolsonaro nos últimos meses nas redes sociais. Sim, é verdade que o Livres diz ser uma “renovação do PSL” e que pretende trazer um viés supostamente liberal ao partido, mas tudo indica que não. A tendência está bem mais à esquerda, aliás, do que ao liberalismo, o que gera ainda mais suspeitas.

De acordo com a Veja, os dois tiveram uma conversa ontem, 19, e discutiram sobre a possibilidade de o PSL integrar uma chapa com Bolsonaro. Também teriam conversado a respeito do imposto único, proposta de Luciano Bivar que já é defendida há mais de década.

Contudo, há mais coisas aí.

Corrupção

Bivar, por exemplo, disse em 2013 ter subornado membros da CBF para que o técnico Leão convocasse o jogador Leomar, do Sport, clube no qual Luciano Bivar é presidente. A informação foi publicada em 8 de março daquele ano no portal Terra. Se tal afirmação é verídica – e, considerando que partiu do próprio Bivar, é provável que seja – Bolsonaro está buscando o apoio de um corrupto, o que destrói seu discurso de “único candidato honesto”.

Bivar apoiou Marina Silva em 2014

maxresdefault.jpg

Na eleição de 2014, o PSL apoiou a coligação Unidos Pelo Brasil, que não por acaso era a mesma coligação de Marina Silva, na época pelo PSB (Partido Socialista do Brasli). Este fato, aliás, foi recorrentemente usado pelos detratores do PSL, dentre eles a própria família Bolsonaro. Em diversas ocasiões os seguidores do deputado usaram este fato para desmerecer críticas feitas pelo Livres-PSL.

Em decorrência da morte de Eduardo Campos, em 2014, antes das eleições, Bivar até pensou em sair da coligação, mas disse ter mudado de ideia depois de um café da manhã com Marina, conforme matéria do portal G1 na época.

Livres e a suposta renovação

É provável que membros do Livres venham a dizer, em breve, que esse encontro entre Bivar e Bolsonaro nada teve a ver com eles. O que se alega é que são uma ala separada e que o grupo não possui, ainda, o controle nacional do partido. Entretanto, de acordo com uma matéria do Estadão publicada há três dias e compartilhada na própria página do Livres no Facebook, o movimento está prestes a assumir o controle da legenda. Aliás, um dos articuladores do Livres é filho do próprio presidente do partido.

1513494204854.jpg
Luciano Bivar (esq.) e Sérgio Bivar (dir.) – Foto de Carlos Ezequiel para o Estadão

O início da matéria do Estadão diz o seguinte:

Nas fileiras da chamada “nova direita” que surgiu no País nos últimos anos, um grupo ainda pouco conhecido começa a ganhar visibilidade. Batizado de Livres e “incubado” dentro do Partido Social Liberal (PSL), o movimento está conquistando um espaço cada vez maior e poderá assumir de vez o comando da legenda no início de 2018, em uma convenção extraordinária que deverá ser convocada para permitir a troca da cúpula partidária. Com uma proposta libertária, que contempla a defesa da liberdade individual em todos os campos de atividade, o Livres se distingue de forma sensível dos principais grupos e legendas considerados “de direita” e está ocupando um lugar até agora inexplorado na arena política nacional. Além de apoiar a democracia e de ter uma postura pró-mercado, o movimento é favorável ao livre arbítrio em questões relacionadas à moral e aos costumes, como o sexo e as drogas.

Que Bolsonaro apoie a democracia já é questionável, mas ele com certeza é um dos maiores críticos da liberação das drogas no país, além de ser frequentemente envolvido em questões relacionadas aos costumes, principalmente homossexualidade, que é sua pauta predileta desde a época do Kit Gay.

Seja como for, a chamada “cúpula” do PSL não está em nada distante do Livres. Na realidade são praticamente a mesma coisa. Como é que os fãs do deputado Bolsonaro vão lidar com tamanha inconsistência em seu discurso? Restará a eles o comportamento de sempre, que se resume a xingar quem aponta os fatos ou escrever #Bolsonaro2018 nas redes sociais.

Outra curiosidade, para dizer o mínimo, é que o Livres diz apoiar o feminismo. Ao menos é o que o próprio grupo publicou em março deste ano, em ocasião do Dia Internacional da Mulher. Veja:

1.JPG

A situação é tão estranha que nem mesmo os liberais de verdade apoiam o Livres nestes casos. Aliás, muitos comentários feitos nesta mesma publicação foram críticas dos liberais contra o grupo por ele forçar esse diálogo com a extrema-esquerda. Se o “novo” PSL é esquerdista demais até para os liberais, o que os fãs de Bolsonaro vão pensar a respeito, uma vez que se dizem os “verdadeiros direitistas”?

PSL-Livres e os ataques diretos a Bolsonaro

Só para se ter uma ideia do nível disso tudo, ao pesquisar o termo “Bolsonaro” na página do PSL-Livres no Facebook é possível encontrar menções críticas ao deputado em quase todos os meses desde outubro do ano passado. Abaixo você pode ver algumas imagens postadas nos últimos meses:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Como se pode ver, são frequentes as comparações entre Bolsonaro e Lula ou críticas apontando o comportamento do deputado em apoio a pautas de extrema-esquerda. Aliás, estas críticas são absolutamente verídicas e muito válidas, especialmente porque o deputado gosta de aparecer como “caçador de comunistas” enquanto na prática não é exatamente isso o que ele faz. De qualquer forma, a rivalidade é escancarada.

Só para que se tenha uma dimensão da coisa toda, em outubro do ano passado uma publicação feita na página do Livres-PSL acusava seguidores de Jair Bolsonaro de terem derrubado uma postagem do grupo após, supostamente, terem denunciado a publicação de forma massiva.

Por fim…

Talvez essa aliança não aconteça, mas se ocorrer é algo que danifica discursos dos dois lados.

O PSL-Livres perderá respeito dos liberais e de muitos seguidores por se mostrar incoerente. De quebra, não poderão alegar pragmatismo porque passaram todos os tempos desde seu surgimento atacando os liberais pragmáticos. O pior de tudo é que o grupo também poderá se queimar com os esquerdistas que tentou conquistar desde o começo. Se for considerado que o PSL-Livres não é muito liberal e está muito mais para social (de socialismo mesmo) é bastante arriscado que percam o espacinho que haviam conseguido com os extremistas de esquerda.

A ala de Bolsonaro, por sua vez, perde moral com os setores mais radicais da campanha (que são a maior parte) e o discurso de “direita pura” simplesmente vai pelo ralo. Além disso ele perde moral por se associar a um político que os próprios minions acusaram de corrupto num passado muito recente. De quebra, se essa aliança ocorrer em vai matar o discurso de seus seguidores mais fiéis que são críticos tanto dos liberais quanto dos esquerdistas, pois terá se associado a um grupo de esquerdistas que se dizem liberais.

É uma morte triste, mas previsível. A tática de isolamento do deputado foi um tiro no pé e só está lhe dando dores de cabeça.

ATUALIZAÇÃO (20/12/2017) – 23:19

Segundo uma fonte interna do Livres-PSL, o encontro realmente aconteceu a pedido do deputado Jair Bolsonaro. Luciano Bivar, no entanto, negou qualquer parceria alegando que está comprometido com o projeto Livres. Contudo, isso ainda recai sobre o deputado, que foi quem buscou a aliança. A mera proposta o enquadra em seus discursos e a suposta pureza ideológica de seus seguidores, que negam qualquer aliança com liberais ou libertários.

Anúncios

3 comentários sobre “Bolsonaro se reúne com líder do Partido Social Liberal para buscar apoio

  1. Um embusteiro, um oportunista, um sindicalista militar e guerrilheiro de caserna, com nada de concreto para apresentar,apenas retoricas ridículas e bravatas, envolvendo temas insignificantes para um candidato a presidente do Brasil. É um Lula de sinal trocado, que não tem o mínimo de inteligência para avançar nas soluções complexas que se apresentam para um futuro bom para o Brasil.É triste ver que tal qual o gangster Nine Fingers,Lula , ele conquista uma parcela grande, principalmente de jovens (os bolsominions), que o vêm como um messias para salvação de todos. Mais um imbecil que poderá tomar o poder nas urnas e enterrar de vez o país. http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/tudo-o-que-voce-sempre-quis-saber-sobre-bolsonaro-mas-tinha-medo-de-perguntar/

  2. Rapaz, estou começando a achar que o Jornal Livre foi hackeado
    Qualquer coisa que o Bolsonaro faz, vira um tiro no pé, está desesperado, está perdendo moral…kkk

    Gostei de um dos trechos finais. Depois de um texto enorme para dizer os horrores dessa aliança, tem essa:

    “Talvez essa aliança não aconteça…”

    É como se eu dissesse, foi, mas não foi. Assim eu não erro e ninguém pode falar nada rss Muito bom

    Mas a solução para o país é Henrique Meirelles, acertei?

Deixe uma resposta