“Não sou anticomunista e Chávez é uma esperança”, dizia Bolsonaro antes de fingir ser o caçador de comunistas

Declarações dadas por Jair Bolsonaro (PSC-RJ) ao jornal “O Estado de São Paulo” apoiando Hugo Chávez e o comunismo mostram que o deputado fluminense é muito mais de esquerda do que os seus apoiadores imaginam.

O tenente-coronel Hugo Chávez alcançou projeção na Venezuela ao comandar uma fracassada tentativa de golpe de estado em 1992 e ser preso. Anistiado dois anos depois, Chávez largou a vida militar para se dedicar à política, fundou em 1997 o Movimiento V República e foi eleito presidente venezuelano em 1998. Ao tomar posse no dia 2 de fevereiro de 1999, Chavéz convocou um referendo para aprovar uma nova Assembleia Constituinte – apoiada por 70% dos eleitores em 25 de abril de 1999 – e seu partido teve 120 dos 131 lugares da Assembleia, eleita em julho do mesmo ano. As vitórias eleitorais de Chávez levaram à “República Bolivariana da Venezuela” com maior poder ao presidente, fechamento do Senado e estatização da economia.

Analisando a situação política na Venezuela, a edição de 7 de setembro de 1999 do jornal “O Estado de São Paulo” mostra que os avanços do comunista Hugo Chávez contaram com o apoio de Jair Bolsonaro.

Chávez é uma esperança para a América Latina e gostaria muito que esta filosofia chegasse ao Brasil. Acho ele ímpar. Pretendo ir à Venezuela e tentar conhecê-lo. Quero passar uma semana por lá e ver se consigo uma audiência. (…) Acho que ele vai fazer o que os militares fizeram no Brasil em 1964, com muito mais força. (…) Ele não é anticomunista e também não sou. Na verdade, não tem nada mais próximo do comunismo do que o meio militar. Nem sei quem é comunista hoje em dia”, afirmou Jair Bolsonaro na ocasião.

25276339_1576754359072393_882444688_n.jpg

Recorte do jornal O Estado de São Paulo, 4 de setembro de 1999, página A7

Esta foi apenas uma das várias vezes que o deputado fluminense apoiou a esquerda. De acordo com levantamento feito pelo ILISP, Jair Bolsonaro votou diversas vezes de forma similar ao Partido dos Trabalhadores (PT) durante os seus quase 27 anos de mandato na Câmara dos Deputados.

O texto é do Instituto Liberal de São Paulo.

Anúncios

9 comentários sobre ““Não sou anticomunista e Chávez é uma esperança”, dizia Bolsonaro antes de fingir ser o caçador de comunistas

  1. Ahahah ! Querem ridicularizar BOLSONARO usando imagens do tempo da Idade da Pedra , mesmo que fosse verdade , todos nós ( usando nossa Inteligência ) temos o direito de mudar nossas opiniões , quando descobrimos que estamos cometendo erros …that’s it …!!!

  2. Eu diria que escamotear a verdade, ainda que ela seja distante e vencida, não é o caminho, ela é sempre bem vida, entretanto quem prega mudança e a única coisa diferente que se apresenta viável nesse momento é o deputado carece de necessidade achar que as pessoas não podem mudar de posição. Tudo o que eu disser num contexto pode não ser a minha verdade em outro, onde tempo e experiência se acumularam e isso faz com que a matéria em questão seja absolutamente tendenciosa e intempestiva intempestiva !!!!

  3. Jair Bolsonaro explicou a O Antagonista seu apoio a Hugo Chávez em 1999:

    “Ora, 90% do povo venezuelano vibrou com a eleição de Chávez, assim como o Brasil vibrou com Lula. Eu gostei de ver um coronel paraquedista no governo. Seu discurso era outro. A gente se ilude com as pessoas.”

    Sobre a frase “não tem nada mais próximo do comunismo do que o meio militar”, reproduzida naquela época pelo Estadão, o deputado diz que foi retirada de contexto.

    “Eu disse que, no meio militar, nós nos aproximamos do comunismo na maneira como somos tratados — e não na defesa da liberdade. Todos somos iguais, usamos o mesmo uniforme. Comparados com qualquer classe, o militar se aproxima do comunismo. Mas o espírito é completamente diferente.”
    https://www.oantagonista.com/brasil/bolsonaro-sobre-apoio-chavez-gente-se-ilude-com-pessoas/

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK bolsonaro 2014, entrevista de 18 anos atras, esse site e uma piada.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  4. Esse site mortadela deveria mudar de nome. Pena, parecia isento e sério e não tendencioso. Lamentável. Tipo de matéria vergonhosa e desnecessária. O leitor não é tolo. Deveria ser dada apenas a notícia, sem ilações mentirosas e maldosas. Que vão para o inferno!

  5. Eu sou um dos que se sente enganado por este site, ao meu ver uma extensão da porcaria do ilisp.

    O apelo ao “argumento” histórico é risível e o feitiço tende a virar contra o feiticeiro. Bolsonaro votou várias vezes “de forma similar ao PT”? Então, que tal lembrar que o queridinho daqui e da porcaria do ilisp, testa-de-ferro do Bank of Boston (um dos credores do Brasil) foi o presidente do Banco Central na primeira gestão do Luladrão?

  6. E você acredita na bosta corrupta que é o ILISP?
    Kkkkkkkkkkkk
    Nascida da concepção parasitária de um dirigente PTralha tudo o que vem de lá não se pode confiar e é puro excremento!

Deixe uma resposta