Polícia fará perícia em Benfica para checar narrativa de agressão sobre Garotinho, que pode se enrolar

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que o ex-governador Anthony Garotinho (PR) comprovou a existência de machucados no joelho e em um dos seus pés. Segundo o documento, Garotinho foi atingido por um “instrumento contundente”. Na versão de Garotinho, um homem teria invadido a sua cela e o agredido com um taco de baseball, que é considerado um instrumento contundente. Pelo laudo, porém, não dá para comprovar se as agressões foram cometidas por outra pessoa ou por ele próprio.

A Polícia Civil vai fazer uma perícia na manhã desta quarta-feira (29) na ala da cadeia pública José Frederico Marquês, em Benfica, na Zona Norte do Rio, onde Garotinho ficou preso. O objetivo do delegado Wellington Vieira é determinar se houve agressão dentro da cela, como alegou o ex-governador.

COMPROVAÇÃO – As imagens não mostram ninguém entrando na cela e servidores dizem que seria quase impossível. “A Polícia Civil considera que os agentes penitenciários tenham falado a verdade. Mas é sempre bom deixar comprovado, através de uma perícia, que esses equipamentos de segurança estão aptos a proteger o preso e a identificar qualquer possível invasão à cela naquela madrugada”, disse o delegado Wellington Vieira, titular da 21ª DP (Bonsucesso).

Segundo o delegado Wellington Vieira, o retrato falado de Garotinho para tentar identificar o agressor também será feito nesta quarta-feira.

A polícia irá até o complexo penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste, para onde o ex-governador foi transferido depois de alegar ter sofrido as agressões, para fazer um desenho do suposto agressor. O ex-governador já havia se disposto a fazer esse retrato falado anteriormente.

ACUSAÇÕES – Garotinho e a mulher dele, Rosinha, também ex-governadora, foram presos no último dia 22 em ação da Polícia Federal relacionada às delações da JBS. Segundo as investigações, a empresa teria doado, via caixa 2, R$ 3 milhões para a campanha de Garotinho ao governo do Rio em 2014.

Empresários também disseram à PF que o ex-governador cobrava propina nas licitações da prefeitura de Campos, onde Rosinha era prefeita, exigindo o pagamento para que os contratos fossem firmados.

As informações são da Globo News.

Anúncios

Deixe uma resposta