Diante da possível candidatura de Meirelles, Bolsonaro surge com nome para o Ministério da Fazenda

Jair Bolsonaro assumidamente não entende nada de economia. Não que isso seja uma obrigação, mas um dos pontos mais fracos em seu discurso era até então o fato de não ter ideia do que responder quando questionado sobre o tema. Há alguns meses, em entrevista no programa de Danilo Gentili, ao ser questionado sobre o assunto ele desviou o foco e falou, é claro, em nióbio e grafeno.

Nas últimas semansa tem surgido a possibilidade de uma candidatura do atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, à presidência da República. Meirelles é um técnico no assunto. Já presidiu o Bank of Boston e chegou a ser o executivo melhor remunerado do país, além de ter demonstrado clara eficiência em recuperar a economia que estava em frangalhos até pouco mais de um ano.

A possibilidade de Meirelles ser candidato é uma ameaça direta a Jair Bolsonaro. Ambos são considerados outsiders, muito embora somente um deles não seja político – no caso, Meirelles. Contudo, os brasileiros perceberam mais recentemente o quanto é importante ter uma economia sólida, especialmente após os desastres e a sujeira no governo Dilma. Uma eventual candidatura de Meirelles em uma disputa pulverizada como promete ser a do ano que vem certamente seria uma pedra no sapato do “projeto” de Jair Bolsonaro.

Frente a tal ameaça, o deputado então resolveu agir. No seminário Amarelas ao Vivo, organizado pela Veja, o jornalista Augusto Nunes voltou a questioná-lo sobre a economia, mas desta vez Bolsonaro tinha uma resposta: Paulo Guedes, professor de macroeconomia na PUC, na FGV e na IMPA, tudo isso com um PhD pela Universidade de Chicago.

Contudo, nada está certo. Segundo o próprio deputado a relação dele com Guedes é, ainda, um “namoro”, mas poderá se tornar um “noivado”. Para quem dizia há poucos dias que gostaria de indicar Delfim Netto, um comunista assumido, até que houve uma evolução.

Anúncios

3 comentários sobre “Diante da possível candidatura de Meirelles, Bolsonaro surge com nome para o Ministério da Fazenda

  1. Ora é tão fácil encontrar um Ministro de Economia. Sugestão: O LULA que é analfabeto ou a especialista Dilma Pedalada. KKKK. Vejam a maravilhosa herança deles. kkkk.
    Sério: Presidente não precisa saber de economia. Tudo já está pré-determinado nos orçamentos anuais, plurianuais, etc… No máximo, precisa conhecer a contabilidade das donas de casa: ‘não gastar mais do que arrecada”. Ponto. Esta forma de divulgação é somente uma forma de tentar desconstruir as pessoas honestas pelo ‘poder estabelecido’ e ‘mídia esquerdista’.

Deixe uma resposta