Procuradores de extrema esquerda dão barraco e se retiram de evento onde estava Sergio Moro

Um grupo de procuradores municipais de Curitiba desistiu de participar do Congresso Nacional da categoria por causa da presença do juiz federal Sérgio Moro na abertura do evento, nesta terça-feira (21), na capital paranaense. Quando o nome do magistrado foi confirmado, 72 procuradores municipais assinaram uma nota endereçada ao presidente da Associação Nacional dos Procuradores Municipais (ANPM), Carlos Mourão, para manifestar a insatisfação do grupo.

O grupo de procuradores que organizou o protesto contra o juiz deixou o local quando Moro iniciou a palestra. O magistrado foi o último palestrante da noite.

Cerca de 25 procuradores municipais endossaram a manifestação, mas permaneceram no Congresso para protestar contra a presença do magistrado. A ideia inicial do grupo era fazer um protesto silencioso durante o congresso. Mas segundo o procurador municipal de Fortaleza e ex-presidente da ANPM, Guilherme Rodrigues, três faixas trazidas pelo grupo foram tomadas pela organização.

“A ideia não era ter vaia, não era ter protesto barulhento. A ideia levantar uma faixa e nos retirarmos exatamente por não concordar com esse convite”, disse. “Nós tivemos as faixas apreendidas e, por isso, não nos restou outra solução a não ser expressar com a voz o que a gente ia expressar com as faixas”.

Em meio a aplausos de participantes que ficaram em pé para saudar Moro, na plateia, também era possível ouvir algumas vaias e gritos de ‘vergonha’ quando o nome do juiz era mencionado.

As informações são do Paraná Portal.

Anúncios

6 comentários sobre “Procuradores de extrema esquerda dão barraco e se retiram de evento onde estava Sergio Moro

  1. Fizeram o correto.
    Os petistas encomendados que se retirem.
    Entretanto,devido ao cargos que ocupam deveriam respeitar as autoridades presentes.
    Demonstraram que não foram alçados ao cargo por competência,mas sim por pura indicação política.

  2. Triste e ameaçador constatar que há grupos de funcionários públicos que colocam a militância política acima do respeito às instituições, valores e autoridades. Para eles, a militância política está acima até da Justiça e dos fatos, uma vez que o “guru” deles montou o maior esquema de corrupção já desvendado no mundo, com devolução de bilhões aos cofres públicos e confissão dos crimes por membros do primeirão escalão dos governos petistas. São cúmplices dos corruptos, infiltrados na administração pública.

  3. Aliás toda estrutura do Estado vem sendo aparelhada pela esquerda há décadas. Isto não é novidade nenhuma. Os esquerdistas estão operantes, a serviço muito mais das suas crençasx que ao povo e do efeito uso de suas atividades na exclusiva defesa e salvaguarda dos interesses e necessidades atuais do povo, que afinal é quem os remunera, com o suado pagamento dos impostos. Estamos ferrados e não é só com os políticos corruptos….!

Deixe uma resposta