Universidade federal tem tese de doutorado sobre orgias gays frequentadas pelo autor

Uma pesquisa de doutorado feita na UFF (Universidade Federal Fluminense) mostra o “nível” da pesquisa acadêmica brasileira feita com o dinheiro dos pagadores de impostos. A tese de Victor Hugo de Souza Barreto, do Departamento de Antropologia, é praticamente a história da participação do autor em orgias gays.

O trabalho foi concluído no fim do ano passado. Victor ainda contou com bolsa do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) para fazer “doutorado-sanduíche” no Instituto Universitário de Lisboa, em Portugal.

Vários trechos da tese descrevem o contato físico de Victor com outros homens durante as festas, como quando descreve de forma explícita a relação sexual entre dois homens: “Enquanto a ação se desenrolava, os dois alternavam olhares entre si e comigo e o rapaz ficava passando a mão pelo meu corpo”.  A proximidade era tão grande que o autor afirma que um homem ejacula no rosto dele.

Acompanhada por imagens das orgias, a tese usa linguajar chulo ao se referir aos órgãos sexuais e às modalidades de sexo praticadas para chegar a conclusões como esta: “Percebo as festas de orgia como locais de intensa e conflituosa produção de subjetividade e construções muito próprias relativas ao princípio da masculinidade e de ser homem; de uma forma particular de socialidade e de estabelecimentos de vínculos interpessoais; e, claro, de pôr em prática experimentações sensoriais e corporais de performances relativas à putaria.”

Ou esta: “Pensar a festa enquanto objeto etnográfico, ou como cenário de produção dos nossos dados, é lidar com esses limites dos nossos ‘entendimentos teóricos’, onde os próprios atores apontam para esse ‘além’. Um ‘além’ que claramente, pode entrar na seara de interpretações sobrenaturais e religiosas (e talvez por isso as festas tenham sido objeto de referência para uma literatura de rituais religiosos), mas também de um ‘além’ que tem a ver com algo de infinitesimal, de inapreensível, que ‘foge’ e ‘transborda’ ao entendimento. No caso, de um excesso que não se explica pela ordem, mas por ele mesmo”.

O trabalho de Victor Hugo não é o primeiro do gênero. Um mestrando da Universidade Federal da Bahia, por exemplo, participou de encontros sexuais em um banheiro público de Salvador. “É cada vez mais visível o crescimento desses estudos no Brasil, visto o aparecimento de mesas e grupos de trabalho em nossas reuniões e congressos anuais”, reconhece Victor Hugo em sua tese.

A própria incursão do antropólogo nesse universo tem precedentes. Sua dissertação de mestrado, também na UFF, conta a história da participação do autor em saunas gays no Rio de Janeiro. Victor Hugo obteve não só a aprovação de seu projeto e uma bolsa de estudos do CNPq, como conseguiu que seu trabalho fosse publicado em livro pela editora da universidade, intitulado “Vamos Fazer uma Sacanagem Gostosa?“.

As informações são do Instituto Liberal de São Paulo.

Anúncios

6 comentários sobre “Universidade federal tem tese de doutorado sobre orgias gays frequentadas pelo autor

  1. Esse é o tipo de gente que pode casar e adotar (leia-se aliciar) crianças, bem como processar e punir pessoas normais por criticas a esse estilo de vida, haja vista as DST’s e todo tipo de problema associado ao “estilo de vida”.

    Se a vida lhe da limões, faça limonadas, então não critiquem somente os recursos públicos utilizados, desconstruam essas pesquisas, tem que expor essas orgias para o público mais alienado entender a realidade LGBT que a mídia esconde.

  2. Uma BOSTA COMUNISTA em forma de pais, o qual chamam de ‘Brasil’.
    Nao moro nessa Terra de jumentos q td aceitam. Falam mas aceitam q os bandidos criminosos disfarcados de ‘politicos’ caguem na cabeca de todos e deem risada.
    Eh a idiotizacao do povo, uma das metas da agenda comunista sionista global.

  3. O pior é ter uma porcaria dessas chamada de tese de doutorado e uma banca de pseudo-professores esquerdopatas idiotizados que aprovam e acham lindo!!
    E ainda tem gente que acha que esta república bananeira é o país do futuro!!!

Deixe uma resposta