Justiça confirma multa de R$ 150 mil a Bolsonaro por “crime de opinião”

A Veja informou:

O deputado federal Jair Bolsonaro foi condenado, em segunda instância, a pagar R$ 150 mil por dano moral coletivo por ofensas feitas contra a população LGBT. O julgamento da apelação contra a sentença, que em 2015 já havia condenado o parlamentar, ocorreu na 6ª Câmara Cível, no Rio de Janeiro. A ação civil pública foi ajuizada pelo Grupo Diversidade Niterói, Grupo Cabo Free de Conscientização Homossexual e Combate à Homofobia e Grupo Arco-Íris de Conscientização. As entidades usaram como base as declarações do parlamentar ao programa CQC, da TV Bandeirantes, feitas no dia 28 de março de 2011. No programa, o deputado disse que nunca passou pela sua cabeça ter um filho gay porque seus filhos tiveram uma “boa educação”. Também afirmou que não participaria de um desfile gay porque não promoveria “maus costumes” e porque “acredita em Deus e na preservação da família”.

Ou seja, um “crime de opinião”.

O deputado emitiu sua opinião ao ser frontalmente questionado a respeito do tema e, em virtude disso, terá que indenizar pessoas que não sofreram dano algum. Ademais, é hipocrisia pura tratar do caso com tamanha veemência, já que outros deputados já demonstraram em plena Câmara seu desprezo por evangélicos e pessoas religiosas.

Para se ter uma ideia, na época da discussão sobre o Kit Gay um membro de um grupo LGBT participava de uma sessão ao lado de Jean Wyllys e disse, de forma clara e nada sujeita a interpretações, que pegaria em armas se fosse preciso para enfrentar a população evangélica. Wyllys não só concordou tacitamente como ainda o aplaudiu.

Anúncios

13 comentários sobre “Justiça confirma multa de R$ 150 mil a Bolsonaro por “crime de opinião”

  1. e o medo da disciplina-honestidade-valores q querem destruir e q serao resgatados pelo capitao-nao falou nada demais -e q estas criaturas sao sensiveis demais-

  2. vamos fazer uma caixinha , e cada um que for votar no bolsonaro depositar R$ 1,00 creio que mais de 150 mil irão votar nele. desta forma vamos mostra a unidade do discurso da família brasileira.

  3. O problema não é o que falam e sim quem fala ! Assim tem sido o lula chama a mulher de grelo duro e não dá em nada, o Jair emiti uma opinião pessoal, quando questionado … 150 mil … Sendo assim ou é preciso ser mentiroso igual a maioria ou não falar mais nada pra não ser condenado por falar aquilo que pensa.

  4. A verdade nunca vai deixar de ser perigosa ao que parece.

    “No programa, o deputado disse que nunca passou pela sua cabeça ter um filho gay porque seus filhos tiveram uma “boa educação”.”

    Como homossexuais tem maior incidência em famílias desestruturadas (e muitas vezes as crianças são vitimas de abuso sexual por homossexuais adultos), não dá nem pra dizer que foi crime de opinião e sim crime por falar a verdade.

    “Também afirmou que não participaria de um desfile gay porque não promoveria “maus costumes” e porque “acredita em Deus e na preservação da família”.”

    Será que da pra dizer que o típico desfile do orgulho (um pecado capital diga-se de passagem) gay promove bons costumes, ou será que nesse dia o Estado libera as pessoas para praticarem crimes de vilipendio a culto religioso e atendado ao pudor? Qual será o deus da pessoa que frequenta esse tipo de ambiente? Mais uma vez foi um crime de falar a verdade…

  5. Mesmo que estivesse errado.
    Emitir opinião divergente agora é crime?
    Se um homossexual disser que a heterossexualidade é uma mentalidade atrasada, primitiva, excludente, cabe que os heterossexuais processem por danos morais?
    Ninguém percebe o quanto isso é ridículo e autoritário?
    Como será possível debater ideias se a expressão delas pode ser punida por um judiciário ativista?

  6. ISSO É CORTE BOLIVARIANA, ESCUDO DA BANDALHEIRA E FERRAMENTA DE PERSEGUIÇÃO POLITICA! SE NÃO HOUVER INTERVENÇÃO ANTES DA FRAUDE ELEITORAL, O BRASIL SE TORNARÁ UMA TERRA DE ESCRAVIZADOS E DESUMANIZADOS PELOS COMUNISTAS!

Deixe uma resposta