CPI dos Maus Tratos aprova condução coercitiva de artista peladão e de curador de exposição

A CPI dos Maus-Tratos aprovou nesta quarta-feira (8) requerimentos para a convocação coercitiva do “artista” Wagner Schwartz, o sujeito que ficou nu no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), e do curador da exposição Queermuseu, Gaudêncio Fidélis. Por não terem respondido ao convite para as audiências da comissão em São Paulo, Schwartz e Fidélis agora serão conduzidos por força policial à reunião da CPI.

Também foi aprovado requerimento do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), que pede a constituição de grupo de trabalho com representantes do Ministério da Justiça, Polícia Federal, Secretaria da Receita Federal, Banco Central do Brasil, Ministério Público, Safernet e Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (ABECS).

O objetivo do grupo é elaborar mecanismos de investigação financeira para identificação e punição de quem compra material pela internet cujo conteúdo envolva maus tratos de crianças e adolescentes.

Outros requerimentos de convite a quatro psicólogas e a uma advogada que atuaram em processos de violência contra crianças em São Paulo também foram aprovados pela comissão. Também foram convidados a depor a delegada de polícia civil Viviane Costa Rios, Alexandra Barros Clemente e Daniela Pavan Mendes, que devem prestar esclarecimentos sobre um caso de maus-tratos e violência contra uma criança informado durante diligência da CPI em São Paulo.

A informação é do site do Senado Federal.

Anúncios

3 comentários sobre “CPI dos Maus Tratos aprova condução coercitiva de artista peladão e de curador de exposição

  1. A sociedade brasileira em sua maioria exige a devida punição pelo ato de pedofilia por uma criança ver e tocar o corpo de um homem nu. O artista, o curador, a direção do MAM e a “mãe” da criança devem ser responsabilizados, processados e julgados na forma da lei.

Deixe uma resposta