Youtuber feminista leva paulada das “amigas” após se referir a mulher como “pessoas que tem útero”

A fase não anda boa para a tropa de lacradores da extrema esquerda. Eles estão sendo traidos pelos seus em vários momentos.

Nessa semana, vimos a extrema esquerda passar a rasteira em Marina Ruy Barbosa – da elite de artistas milionários da Globo, que sempre joga a favor dos socialistas – por causa de uma propaganda de papel higiênico preto.

Agora a nova vítima é outra ultra esquerdista, a youtuber e jornalista Júlia Tolezano (Jout Jout). Ela fez o comercial de um coletor menstrual com a chamada: “Oi, pessoal que tem útero!”. Agora ela está tomando paulada atrás de paulada.

Um exemplo:

O furdunço é porque pessoas que têm útero chamam-se mulheres e o comercial não citou a palavra “mulheres”. Isso teria diminuído as feministas. Nada faz muito sentido nessa polêmica. E é assim que a treta fica mais divertida. Eles que são ultra esquerdistas que se resolvam entre eles.

O texto é do blog Ceticismo Político.

Anúncios

3 comentários sobre “Youtuber feminista leva paulada das “amigas” após se referir a mulher como “pessoas que tem útero”

  1. O objetivo dos comunas é esse mesmo
    Fortalecer esses grupos, usa-los e depois destrui-los, jogando uns contra os outros
    Pq comuna é td homofóbico, racista e preconceituoso QUANDO estão no PODER

  2. É curioso que tudo na esquerda tem putaria, tudo relacionado à pratica do sexo. Eles parecem aqueles virgens do ensino fundamental dos anos 90, quando roubam as revistinhas pornôs dos tios e levam pra escola.

  3. O texto é do blog Ceticismo Político? E FOI PUBLICADO COMO NOTÍCIA? Isso tá cheio de opinião editor chefe. Reveja isso, senão vão comaçar a achar que o Jornalivre é amador ou mal intencionado. KAKAKAKAKAKAKA

    Mais uma notícia da notícia? Para não ficar apenas no disse que disse, publiquem um LINK para a suposta informação da Jovem Pan, pois precisamos averiguar se trata-se de informação ou opinião, afinal o Jornalivre, está errando muito e errando rude ao ESQUENTAR opiniões de colunas e blogs da “grande” imprensa nacional (PIG), e republicá-las como informações, ou seja, como notícias.

Deixe uma resposta