Pensador “mata” Michel Temer em novo rap em que ataca Bolsonaro e alivia pra Lula e Dilma

Em 1992 um jovem rapper brasileiro de 18 anos chamado Gabriel O Pensador gravou em uma fita demo uma música chamada “Tô Feliz (Matei o Presidente)”. A canção fez sucesso no período em que o Brasil passava pelo impeachment do presidente Collor e marcou o início da carreira do cara.

25 anos depois, Gabriel sentiu a necessidade de fazer uma segunda versão da sua canção, com letras baseadas nos tempos atuais. Na nova versão o Pensador “mata” o atual presidente Michel Temer, após a “sobrevivência”, nas letras de suas músicas, da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), impeachmentada da mesma forma que foi Collor.

Em um trecho da música, Gabriel diz que “o povo desunido se mata por partido” emendando, logo em seguida, uma crítica: “chamando políticos ridículos de mito“. Atualmente, o presidenciável Jair Bolsonaro é o único político citado por seus seguidores com esta definição. O deputado, porém, não é citado em casos de corrupção.

Na música, no entanto, o cantor alivia para os ex-presidentes Lula e Dilma. Lula foi condenado por corrupção enquanto Dilma teve o mandato cassado — assim como Collor — após inúmeros escândalos em seu governo. No período em que ficaram no poder, os petistas não foram alvo de críticas como essa de Gabriel, em suas letras ou publicações. Temer, enquanto vice de Dilma, também não.

Veja primeira versão:

Ouça a segunda, lançada esta semana:

Anúncios

8 comentários sobre “Pensador “mata” Michel Temer em novo rap em que ataca Bolsonaro e alivia pra Lula e Dilma

  1. Que coisa mais ridícula …E o pior é que a mídia , bate palma pra essa nojeira de música , e incentiva o ódio e a bandidagem em nosso País .
    O povinho atrasado e Burro ..!!!!

  2. Um rap que vai muito além de criticar o Bolsonaro/Lula/Dilma/Temer. Ele criticou a ele mesmo e aos outros brasileiros porque estamos tão apáticos frente a tudo. Ele deixa claro como brigamos de “esquerda X direita” mas não passamos de falas inflamadas que não acabam em ações tangíveis. Uma música que tenho orgulho de chamar de brasileira!!

  3. Gabriel sim é mito e me representa. Ele cita todos os políticos que “roubam mas fazem”, lamento mas a matéria foi tendenciosa, a fim de “defender” esse falastrão demagogo chamado Jair Bolsonaro. Antes que alguém diga que sou petista, sou “direitista” mas instruído e que não cai nessa onda política cheia de interesses, capitaneada por essa merda de MBL, rsrs

Deixe uma resposta