MAM foge de audiência pública convocada por Fernando Holiday e tenta se justificar por carta

O MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo) não enviou representante para a Audiência pública na Câmara Municipal de São Paulo sobre a exposição La Bête, realizada pela Comissão Extraordinária Permanente de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente e da Juventude, presidida pelo vereador Fernando Holiday, que fez o convite. A intenção, de acordo com Holiday, era “ouvir o outro lado”.

A recusa do museu foi comentada pelo parlamentar e publicada em sua fanpage no Facebook. Veja vídeo:

O MAM, no entanto, enviou uma “carta” em que trata do tema e tenta justificar sua ausência. No texto, o museu afirma que “há mais de 20 anos” atua em “formação pedagógica, artística e crítica” para a “formação de jovens e na cultura tradicional da infância”.

Adiante, o texto afirma que a presença de representante contribuiria para o “acirramento de ânimos” o qual atribuiu à “desinformação”. Frisa, ainda, que se trata de “nudez não erótica” repetidas vezes, argumentando que seria permitido, de acordo com o guia da Justiça para classificação indicativa, que seria permitido à criança participar do ocorrido. O museu, no entanto, não tinha classificação indicativa ou restrição de idade.

O público presente, porém, demonstrou intensa insatisfação com a resposta insatisfatória. Leia a íntegra da carta e da sessão:

Anúncios

2 comentários sobre “MAM foge de audiência pública convocada por Fernando Holiday e tenta se justificar por carta

Deixe uma resposta