Após pressão social contra a pedofilia, mostra sobre sexualidade no MASP será restrita a maiores de 18 anos

Na próxima sexta-feira, 20, o Museu de Arte de São Paulo inaugura a a mostra Histórias da Sexualidade, mostrando que a esquerda tem verdadeiro fetiche pelo assunto. Porém, desta vez, depois de toda a pressão social envolvendo as exposições claramente pedófilas do Museu de Arte Moderna, também em São Paulo, e da exposição Queermuseu, em Porto Alegre, parece que eles aprenderam a lição: a classificação indicativa é para maiores de 18 anos.

Ao menos foi isso que informou o blog de Cultura do Estadão, no mesmo texto em que coloca Adriana Varejão no mesmo patamar de Pablo Picasso e Francis Bacon…

A classificação indicativa da exposição é de 18 anos: ou seja, menores de 18 anos não podem entrar nem mesmo se acompanhados dos pais. O Museu ainda não definiu como será feito o controle de entrada na mostra.

Isso não significa que o MASP não tivesse intenção de liberar o bacanal, mas certamente prova que o museu está preocupado com a reação popular que é claramente contrária ao uso de crianças para fins políticos, ainda mais quando envolve sexualidade ou, pior, a pedofilia.

Anúncios

9 comentários sobre “Após pressão social contra a pedofilia, mostra sobre sexualidade no MASP será restrita a maiores de 18 anos

    1. Continua sendo uma porcaria, mas não somos babá de marmanjo! Se eles quiserem cagar e comer, ficar pelados e peidar na farofa, cutucar o furico uns dos outros, etc e chamar isso de arte, nem ligo! O problema é só deles! É só deixarem as crianças fora dessa putaria que tudo bem… Eles que vão se foder pra lá!

  1. Isso não quer dizer que não haverá obras de conteúdo pedófilo ou zoófilo. Os adultos podem ir, mas se houver referências a pedofilia, a justiça deve ser acionada.

Deixe uma resposta