Modelo da Dove rejeita falso vitimismo: “Não sou vítima e não vi racismo”

Lola Ogunyemi, modelo que aparece em uma polêmica campanha da Dove, disse em artigo publicado no The Guardian que não é vítima, que o vídeo foi mal-interpretado. A campanha foi retirada do ar por receber acusações de racismo, e a empresa se desculpou pelo episódio.

A Veja escreveu:

Em artigo publicado no jornal The Guardian, Lola afirma que seria a primeira pessoa a recusar o trabalho se fosse retratada de forma inferior às outras modelos. “Eu teria sido a primeira a dizer um ‘não’ enfático, pois iria contra tudo que represento.”

No artigo, ela deixou claro que não gostou de ver seu rosto associado a uma campanha racista. ‘Se você coloca ‘anúncio racista’ no Google agora mesmo, o primeiro resultado que aparecer vai ser uma foto do meu rosto. Eu estava empolgada em fazer parte de um comercial que promove a força e a beleza da minha raça. Isso ir contra esse conceito foi perturbador.”

Lola conta que sabe que a indústria de beleza alimentou esse padrão de beleza baseado em pessoas de peles mais claras, mestiças ou brancas. Mas que estava feliz por representar ‘as irmãs de pele negra em uma marca de alcance global’. ‘Parecia a forma perfeita para lembrar o mundo de que estamos aqui, de que somos bonitas e, mais importante, que temos valor.’

Anúncios

2 comentários sobre “Modelo da Dove rejeita falso vitimismo: “Não sou vítima e não vi racismo”

  1. 1) A ideia do comercial da Dove é parecida com a do videoclip “Black or White” (1991) do Michael Jackson, cujo mote principal é “It don’t matter if you’re black or white”.
    A diferença é que os produtores do videoclip juntaram pessoas de várias etnias – negros, brancos, orientais, aborígene e mulher indiana (Índia) – , indo além daquela dicotomia branco-negro, e está de acordo com o seguinte trecho da música:
    “See, it’s not about races/ Just places, faces
    Where your blood comes from is where your space is
    I’ve seen the bright get duller
    I’m not going to spend my life being a color”
    2) Se a produção do comercial da Dove tivesse incluído mulheres orientais, indianas da Índia, índígenas e aborígenes, teria evitado a costumeira e irritante acusação de pseudo-racismo que contamina todos os meios sociais, especialmente nos países parasitados por esquerdistas.
    Não existem somente pessoas brancas e negras no planeta Terra, ao contrário do que pensam os afro-coletivos.

    1. Mas na propaganda completa, uma mestiça (semelhante a uma indiana) apareceu depois da modelo branca. Mas… isso os veículos jornalísticos não mostraram.

Deixe uma resposta