Após criação da lei do desarme, taxa de homicídios dobra na Venezuela

Em junho de 2013, a lei de desarme e controle de armas e munições, promovidas pelo governo de Nícolas Maduro, foi sancionada pela Assembleia Nacional da Venezuela. A lei, de 126 artigos, restringe a venda de armas de fogo e estabelece pena de 20 anos de prisão para quem tiver posse ilegal de armas.

O objetivo da lei, que foi aprovada com apoio de ONG’s brasileiras como a Viva Rio, era diminuir a violência na Venezuela, que era considerada uma das nações mais violentas do mundo. Mas o resultado da política não tem saído como o esperado.

Segundo dados oficiais do próprio governo venezuelano, em 2013, quando a lei de desarmamento foi sancionada, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes era de 39 por 100 mil habitantes. Já em 2015, dados oficiais do governo mostram uma taxa de 70,1 por 100 mil habitantes. E segundo relatório do Observatório Venezuela de violência, a taxa de homicídios encerrou 2016 com 91,8 para cada 100 mil. O número de homicídios quase dobrou conforme os dados do próprio governo emitidos em 2015, e mais que dobrou, segundo o relatório de 2016 da ONG venezuelana.

Quando o assunto é violência, para defender o desarmamento, diversos especialistas da mídia fazem comparações de países desarmados, como o país insular Japão, e compara com países continentais como os EUA. Mas nunca comparam dados de países que já fizeram desarmamento, como o Brasil e Venezuela. Além disso, ainda omitem dados de países menores como a armada Suíça que possui 4 vezes menos homicídios que Cuba, onde armas são proibidas.

As informações são do Instituto Liberal de São Paulo.

Anúncios

Um comentário sobre “Após criação da lei do desarme, taxa de homicídios dobra na Venezuela

  1. 100% dos CRIMINOSOS possuem,e sempre possuirão armas ILEGALMENTE. Constituição dos EUA de 1791:Sendo necessária à segurança “do Cidadão” e de um “Estado Livre”,o Direito do Povo de possuir e usar armas não poderá ser infringido.

Deixe uma resposta