Louvre adota o “fascismo” ao retirar peça explícita que estava perto de parquinho de crianças

O Medium publicou:

A peça Domestikator, do coletivo Atelier Van Lieshout, era para ser aberta ao público no dia 19 de outubro no famoso Museu do Louvre em Paris, como parte de um programa de arte público organizado pela feira de arte contemporânea Fiac.

A publicação francesa Le Monde reportou que o diretor do Louvre, Jean-Luc Martinez, enviou uma carta para a Fiac levantando preocupações sobre a peça, principalmente por estar situada nas proximidades de um parquinho de crianças.

Agora que o Louvre retirou uma peça por estar situada “nas proximidades de um parquinho de crianças”, como ficará a narrativa da extrema esquerda que defende visitas escolares em exposições de conteúdo adulto com direito a participação em performance e tudo?

Anúncios

6 comentários sobre “Louvre adota o “fascismo” ao retirar peça explícita que estava perto de parquinho de crianças

  1. “Mas o Louvre não tem arte. Arte só no MAM, ou em Porto Alegre. Monalisa somente reforça o estereótipo feminino nessa sociedade judaico-cristã heterohegemonica, machista, fascista, dominada pelo homem branco” diria nossa esquerda.

  2. Soberania da VIDA e da DEMOCRACIA:Constituição dos EUA de 1791:Sendo necessária a segurança “do Cidadão” e de um “Estado Livre”;o Direito do Povo de possuir e usar armas,não poderá ser infringido. OBS:100% dos CRIMINOSOS sempre possuiram armas ILEGALMENTE.

Deixe uma resposta