Estadão relativiza para proteger ato com pedofilia no MAM e ataca deputado que viu pornô no celular

O Estadão escreveu:

“Não consigo acreditar que tenha algum pilantra, algum vagabundo, dentro desta Casa, que aplauda isso. Porque, se tiver, tem que levar porrada, tem que levar cacete, para aprender. Bando de traidores da moral brasileira, tem que ir para a porrada. Nós não podemos mais aturar isso. Se você apoia patife, se você apoia tarado, é na tua cara que eu vou dar”, disse.

O deputado Edmilson Rodrigues (PSOL-PA) reagiu e, sem citar o nome de João Rodrigues, afirmou que falta de moral era ter deputados que viam filme pornográfico dentro do plenário. O deputado catarinense foi flagrado assistindo a um vídeo com conteúdo explícito em 2015 durante uma sessão de plenário. “Tenham vergonha na cara aqueles que querem puxar a orelha daqueles que têm compromisso com a arte”, afirmou.

Um homem adulto que assiste pornô em seu celular é algo bem diferente de uma criança incitada pela mãe a tocar em um desconhecido nu, não é?

Anúncios

Deixe uma resposta