Centrais sindicais se unem em assembleia para discutir novo imposto contra os trabalhadores

Sindicatos das principais centrais sindicais do país estão aprovando em assembleias a manutenção da cobrança do imposto sindical ou a criação de contribuições, isso antes mesmo de o governo editar medida provisória para regulamentar a matéria. Os sindicatos querem arrecadar o dinheiro de todos os trabalhadores e não apenas de seus sócios, tanto no caso da manutenção do imposto quanto na das novas “contribuições” – chamadas de assistencial ou negocial.

Essa é a estratégia montada para driblar o fim da obrigatoriedade do pagamento do imposto, previsto na reforma trabalhista que entra em vigor em 11 de novembro. Ela deve enfrentar resistência na Justiça. Para o Ministério Público do Trabalho, é ilegal. Os sindicatos dos metalúrgicos de São Paulo (Força Sindical), dos metalúrgicos de São Leopoldo (RS), filiado à Central Única dos Trabalhadores (CUT), e o dos têxteis de Guarulhos, da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), foram os primeiros a adotá-la.

A informação é do Radar On-Line.

Anúncios

3 comentários sobre “Centrais sindicais se unem em assembleia para discutir novo imposto contra os trabalhadores

    1. São uns vagabundos querer obrigar o cidadão a cobrir as regalias deles vão trabalhar sindicato não serve pra nada apenas para explorar assim como os políticos. o povo se essa raça quer criar uma forma de roubar que seja espontânea e não obrigatória

Deixe uma resposta