Antes de os corpos esfriarem, “jornalista” da Folha usa mortes em Las Vegas para atacar Trump e defender o desarmamento

Coisa mais típica da imprensa abutre que temos no país é o uso da morte e das tragédias para defender a agenda política da extrema-esquerda. Foi assim com o caso Eloá, com a chacina em Realengo ou com os atentados na Europa nos últimos anos. Até mesmo com o atentado do ano passado na Flórida, em uma zona livre de armas, o mesmo tipo de sujeira foi usada para apoiar a causa.

No caso de hoje, em Las Vegas, é claro que não seria diferente. Nem bem esfriaram os corpos e o jornalismo abutre já estava ao redor dos cadáveres para atender seus anseios. No caso da Folha de São Paulo, o objetivo foi atacar Trump e defender o desarmamento civil ao mesmo tempo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

E o que significa esse “pura maldade”, entre aspas? A “jornalista” acha que não houve maldade no ataque? Será que a culpa é realmente das armas e do Trump?

Anúncios

3 comentários sobre “Antes de os corpos esfriarem, “jornalista” da Folha usa mortes em Las Vegas para atacar Trump e defender o desarmamento

  1. Que coisa repugnante! Isso é um total desrespeito com as vítimas. Usar essas mortes para manipular a opinião pública. Jornalismo canalha e oportunista! LIXO!!!

  2. Eles são nojentos. Como me recuso a assistir a Globo, fiquei o dia todo entre a Fox News e a Band News. Na Fox, não teve um minuto de questionamento do porte de armas. Mas na Band, de hora em hora batiam nessa tecla. Teve um analista que deu uma opinião bem estruturada explicando as armas na cultura americana mas os repórteres tentando fazer o cara criticar esse direito.
    Em outra hora um professor da FGV papagaiou todo o mimimi da esquerda: armas matam, cidadão não deve ter armas, só as forças policiais,países sem armas são mais pacíficos, etc.
    Babacas e canalhas. Nesse exato momento, Ricardo Boechat na Band FM descendo a ripa no porte de armas. Incrível como eles agem movidos pela agenda da esquerda o tempo todo.

Deixe uma resposta