EXCLUSIVO: Irmão de “artista” de exposição pedófila é membro do LIVRES-PSL. Isso explica o silêncio do grupo sobre o caso…

por Roger Scar

Ao pesquisar na internet sobre o performista Wagner Schwartz, o sujeito que ficou nu e foi tocado por crianças em uma exposição pedófila no Museu de Arte Moderna, me deparei com uma coincidência um tanto esquisita: Wagner teria um irmão que trabalha na prefeitura de Uberlândia, em Minas Gerais.

Li uma entrevista feita pelo site Conectedance. Nela o performista se refere a um irmão chamado Walber, que trabalha e mora em Uberlândia. Na entrevista, datada de 2015, Wagner disse: “Minha família nunca teve condições financeiras para me mandar estudar fora. Meu irmão tinha conseguido um emprego em Uberlândia e pensei: “lá o Walber pode me ajudar”.” (Leia aqui)

Eis que decidi procurar pelo tal Walber. Encontrei um sujeito que trabalha como Coordenador de Inovação na Secretaria do Desenvolvimento de Uberlândia. No entanto, pelo que pude descobrir parece que este é um emprego recente de Walber. Isso pode ser conferido na página dele no Facebook:

1.png

No perfil de Walber pude constatar, ainda, que ele tem Wagner Schwartz como contato, o que começou a me fazer questionar se tudo era apenas coincidência ou se eram mesmo irmãos. Aparentemente minha suspeita inicial estava correta.

ScreenShot_20171001165517.png

Ainda assim não me dei por satisfeito. Pensei que poderia ser mera coincidência. Fui então procurar mais informações e achei, no site Jus Brasil, uma menção aos dois irmãos em um caso de inventário. No processo, ambos são citados no processo de espólio de Ruy Chuarte como herdeiros. No processo, o nome completo de ambos aparece, como você pode conferir logo abaixo:

ScreenShot_20171001165911.png

Ao pesquisar, constatei que os nomes são os mesmos e que todas as informações constantes na Wikipedia, no Tribunal Superior Eleitoral e no Escavador são condizentes com os irmãos. De fato, comprovei que são as mesmas pessoas. Mais do que isso, foi quando descobri que Walber pertence ao LIVRES-PSL e que chegou a ser candidato a vereador no ano passado.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foi neste instante que me dei conta de algo surpreendente: O LIVRES-PSL não havia, até o momento, se manifestado sobre o caso da exposição do Museu de Arte Moderna. Fui até a página do grupo no Facebook e constatei que não houve nenhuma menção ao caso que abalou o país desde a última quinta-feira.

Recentemente, no caso da exposição Queermuseu, diversos integrantes do Livres (dentre eles Fábio Ostermann) ficaram contra aqueles que criticaram o evento. Ostermann chegou a tecer críticas contra o MBL e outros grupos que atacaram a absurda exposição do Santander Cultural. No entanto, diante do caso do MAM, nenhuma nota. Estranho, não é?

Já fui integrante do Livres-PSL, ainda sou filiado ao PSL (por pura preguiça de ir até o TRE pedir a desfiliação). Por conta disso tenho muitos contatos e até amigos que ainda participam do movimento, de modo que fui questioná-los sobre o caso. Foi então que descobri algo muito grave.

Segundo um dos amigos que contatei, houve pressão interna por parte de diversos integrantes para que a direção nacional do Livres tomasse uma posição clara. Alguns até teriam ameaçado se desfiliar do partido caso o grupo não se manifestasse publicamente até segunda-feira. Fui verificar algumas das páginas pessoais dos integrantes do grupo, descobri que um deles, dentre os mais conhecidos, chegou a se manifestar publicamente repudiando a exposição, o que comprova o relato dos amigos que contatei.

Rodrigo Saraiva Marinho, que também foi candidato pelo LIVRES, fez a seguinte postagem em sua página pessoal no Facebook:

ScreenShot_20171001171156.png

O LIVRES, entretanto, não se manifestou. Procurei incansavelmente nas páginas do grupo e não encontrei nenhuma nota oficial. Absolutamente nenhum comentário sobre o caso desde quinta-feira.

De forma curiosa e até suspeita, o grupo de prospecção do Livres de Santa Catarina me contatou por e-mail justamente neste fim de semana, respondendo a um e-mail que enviei no início do ano passado. De lá para cá eu já participei do grupo e até o liderei em Joinville por um curto período. Saí no começo deste ano justamente por conta de casos como este, em que o grupo preferiu passar pano para práticas esquerdistas e agenda de gênero. Minha resposta foi a seguinte:

ScreenShot_20171001164556.png

Minha resposta foi direcionada ao Alexandre Paiva, que é coordenador estadual do grupo. Ele também se manifestou contra a exposição em seu perfil pessoal no Facebook, o que mais uma vez sustenta a tese de que a direção nacional do grupo negligenciou o pedido de diversos membros e se calou diante de um caso polêmico e relevante como este.

É impossível determinar se Walber Schwartz tem alguma responsabilidade pelos feitos do irmão. Tendo a pensar que não. Mas o fato que permanece é que o Livres se silenciou diante do assunto e isso pode perfeitamente ter a ver com o fato de que um dos membros do partido é irmão do “artista” da exposição pedófila.

Isso explica muita coisa.

Anúncios

6 comentários sobre “EXCLUSIVO: Irmão de “artista” de exposição pedófila é membro do LIVRES-PSL. Isso explica o silêncio do grupo sobre o caso…

  1. Se a questão é respeitar o direito de liberdade de expressão pela arte, se postando como “objeto de intervenção artística” por que ninguém foi até o tal Walter Miranda Schwartz e exerceu o direito de liberdade de soltar um pum no nariz do “objeto artístico”, ou enfiar um dedo no ânus do “objeto artístico” para interagir artisticamente, ou mesmo de ter escarrado no “objeto artístico” ou tê-lo usado como mictório, argumentando que estava se referindo artisticamente ao emblemático mictório de Duchamp? Se a liberdade de expressão existe e é tão livre, por que não exercer essa liberdade?

  2. Cara… eu acho necessário. Afinal, se o irmão dele nada fez, nada o JORNALIVRE teria de escrever contra ele. Como você mesmo disse: “e daí?!”… de qualquer forma me parece uma informação importante para estarmos cientes das relações.

  3. Muito bacana que o Roger Scar dedique seu tempo a investigar esse tipo de informação tão relevante. Agora sim, com essa informação posso dormir tranquilo sabendo que existem pessoas com opiniões diferentes dentro do Livres.

    O problema é que, dado seu histórico de picareta na cidade de Joinville, aonde forjou publicações de WhatsApp para criar intriga entre membros do MBL municipal com o intuito de se posicionar como um dos líderes do grupo, fica a dúvida se as suas investigações são realmente dignas de atenção ou se se trata apenas de mais uma fofoquinha estilo Janete Clair do pseudo jornalista.

    O fato é que promovendo o racha entre diferentes segmentos da direita liberal brasileira, fica muito claro que Roger se importa muito mais com seu posicionamento dentro da guerra de narrativas do que com a implementação de um governo liberal no Brasil.

    Parabéns amigo, além de picareta você também tem se mostrado um belo de um oportunista. Aliás, e não quero profetizar nada, não ficaria surpreso se um dia você for desmascarado dentro do MBL e aparecesse no dia seguinte grudado no saco do Alexandre Frota.

Deixe uma resposta