Em áudio, Joesley e Saud dizem que plano de Janot era acabar com o PMDB

Novas gravações de Joesley Batista, criminoso do grupo J&F, foram divulgados nesta sexta-feira, 29. O site Valor publicou uma matéria com o conteúdo das gravações, leia:

Nessa nova peça, Joesley está no carro, a caminho do aeroporto, conversando com os advogados Fernanda Tórtima e Francisco de Assis e Silva e com o executivo Ricardo Saud. Os três avaliam a reação dos procuradores (“eles gostaram, querem evitar o máximo mostrar que gostaram, mas a pressa deles mostra”, diz Tórtima; “eles gostaram pra cacete”, opina especulam sobre o futuro e os efeitos da “bomba” que tinham acabado de soltar. Também sugerem ter mais gravações, além das feitas por Joesley, que escolheram ocultar dos investigadores. “Você [Saud] quase pisou na bola, falou que gravou. Cai fora. Deixa só eu gravando”, diz Joesley a seu funcionário. “Sorte que não encompridou [sic] a conversa. Deixa que sou eu porque aí, pronto. Um filho da p… de plantão e acabou”, disse o empresário. No fim do áudio, de cerca de meia hora, Joesley diz que tem de abastecer o carro. Murmura: “Quatro horas e quarenta de gravação”. Não contava que viriam a público os registros que iriam comprometem os benefícios legais, como a imunidade penal, que acordaram com a Justiça.

Aparentemente o plano de Janot era seguir as recomendações do PT e favorecer seus aliados políticos. Isso explica muito de sua atuação na PGR…

Fonte: Valor

Anúncios

Deixe uma resposta