Senadora paga 2 mil reais para vereador de seu partido, mas diz que desconhece sua atividade legislativa

A prestação de contas do gabinete da senadora sergipana Maria do Carmo Alves (DEM) é reveladora. A excelência desembolsa dinheiro público para um correligionário fazer uma espécie de trabalho freelancer para ela.

Ney Max Santana de Oliveira, conhecido por Max de Zé de Toinho, é vereador na pequena cidade de Ribeirópolis, eleito pelo mesmo partido da senadora. Além do salário pago pela Câmara municipal, ele recebe 2 000 reais do gabinete de Maria do Carmo.

Em tese, pela grana extra, Max de Zé de Toinho faz diligências e visitas a comunidades no estado, como representante do escritório político da correligionária. Ou seja, na prática, ele embolsa de duas fontes públicas distintas. Se a moda pega, haverá fila de vereadores na porta do Congresso.

Apesar de ser do mesmo partido da senadora, ela diz que não tinha conhecimento sobre a atividade legislativa da figura e, agora, melhor informada, vai dispensar os serviços de Max de Zé de Toinho.

Anúncios

Um comentário sobre “Senadora paga 2 mil reais para vereador de seu partido, mas diz que desconhece sua atividade legislativa

  1. Desconhecia ohhhhh coitadinha.
    Como será que esta distinta senhora chegou a ser uma senadora da republica, eeeeeeeeeeeeeee Brasil será que você aguenta.
    Se uma senadora não sabe disso alguma coisa está errado acho que é a população.

Deixe uma resposta