Palocci pede desfiliação do PT: ‘Somos um partido ou uma seita?’

O ex ministro petista Antonio Palocci enviou uma carta ao Partido dos Trabalhadores pedindo desfiliação da legenda, nesta terça-feira, 26.

O documento possui quatro páginas elencando os motivos pelos quais ele resolveu deixar o partido que ajudou a fundar.

Na carta, ele diz que decidiu colaborar com a Justiça e defende o mesmo conteúdo para o partido que deveria buscar um processo de leniência na Lava Jato. Afirma que suas declarações para Sérgio Moro são fatos absolutamente verdadeiros, situações que presenciou, acompanhou ou coordenou, normalmente juntou ou a pedido de Lula.

Para ele, Lula irá confirmar tudo. Palocci ainda escreveu que houve uma evolução e acúmulo de corrupções nos governos a partir do segundo mandato de Lula e diz ter sido um choque ver “Lula sucumbir ao pior da política no melhor dos momentos de seu governo”.

Arrependido, Palocci escreve que foi um erro eleger e reeleger um mau governo que destruiu “cada conquista social e cada um dos avanços econômicos tão custosamente alcançados”. Contou que Lula encomendou sondas e propinas em uma reunião com Dilma “na cena mais chocante” que presenciou “do desmonte moral da mais expressiva liderança popular que o país construiu em toda nossa história”.

Desabafou ter sido alvo de “um tribunal inquisitorial dentro do próprio PT” por falar a verdade e questionou até quando vamos fingir acreditar na autoproclamação do ‘homem mais honesto do país?’.

Para ele, mesmo nos melhores anos do governo Lula “já se via a peçonha da corrupção se criando para depois tomar conta do cenário todo”. E faz uma pergunta pertinente aos lulopetistas: “Somos um partido político sob a liderança de pessoas de carne e osso ou somos uma seita guiada por uma pretensa divindade?”.

Confira a carta:

WhatsApp-Image-2017-09-26-at-19.11.02 (1).jpeg

As informações são do G1.

Anúncios

Deixe uma resposta