Mostra “Queermuseu”, boicotada em Porto Alegre, pode ser reapresentada no Museu de Arte do Rio, patrocinado pela Globo

O Museu de Arte do Rio, embora público, é patrocinado por algumas empresas conhecidas, tais como a Rede Globo e também a Fundação Roberto Marinho. Ao menos é o que consta no site do próprio museu:

ScreenShot_20170924160515.png

Dito isso, é bom que os cariocas saibam que o MAR pretende dar espaço para a mostra Queermuseu, exposição pornográfica para crianças que foi boicotada em Porto Alegre no começo deste mês. Quem informou, aliás, foi o próprio jornal O Globo. Confira:

ScreenShot_20170924155537.png

Na matéria foi dito o seguinte:

[…] a mostra “Queermuseu”, censurada pelo Santander Cultural, em Porto Alegre, será exibida no Rio de Janeiro. O local será o Museu de Arte do Rio (MAR). Ainda não há informações sobre a data da exposição. O MAR falará sobre o assunto no início da próxima semana. O diretor cultural do museu, Evandro Salles, confirmou as negociações e disse que “há um interesse mútuo” de trazer a mostra para o Rio. Procurado pelo GLOBO, Gaudêncio Fidelis, curador de “Queermuseu” não foi localizado até o momento. Em entrevista no dia 15, Fidelis chegou a falar em exibir a mostra em outras cidades — além do Rio, há expectativa de a exposição ir para Belo Horizonte.

A grande questão é que o Museu de Arte do Rio é um espaço público, e além disso é também financiado com dinheiro do BNDES e outros órgãos públicos. Não tem cabimento que tais espaços sejam usados para expor material que incita a pedofilia e a zoofilia, como foi o caso. É certo que haverá protestos novamente.

Anúncios

8 comentários sobre “Mostra “Queermuseu”, boicotada em Porto Alegre, pode ser reapresentada no Museu de Arte do Rio, patrocinado pela Globo

      1. Na verdade, se oferecessem o que o público quer, ganhariam muito mais. Mas ideologia… essa nefasta ideologia… cria estes mentes pequenas…

  1. Há uma poderosa arma nas mãos da população contra essa safadeza: o BOICOTE.
    NÃO ASSISTIR, NÃO PARTICIPAR e não comprar ou usar qualquer produto ou serviço fornecido por qualquer um dos patrocinadores e organizadores. O banco já sentiu isso!
    Contamos também com a justiça para barrar também a ofensa contra os símbolos religiosos…

  2. Galerinha, bom dia!

    Não adianta fazer mimimi. Se queremos que nossas crianças não sejam doutrinadas e sodomizadas por essa corja, é partir para os protestos em massa e para a judicialização via ação popular, uma vez que o museu, como a reportagem do Jornalivre registra, é custeado com recursos públicos.

    Saudações e bom protesto!

Deixe uma resposta