Taís Araújo desabafa sobre filha de 3 anos gostar da cor rosa e de princesas: “Parece piada”

Taís Araújo publicou um longo texto em seu perfil no Instagram sobre a filha, Maria Antônia, que tem 2 anos e oito meses e gosta de brincar de casinha, da cor rosa e de princesas. A atriz conta que se “arrepia da cabeça aos pés” ao ver o comportamento da menina. “Parece piada que minha filha aja de maneira tão contrária a tudo aquilo em que acredito; mais ainda, de maneira contrária a tudo o que prego no meu dia a dia, a tudo que acredito que seja uma construção social das mais cruéis que segregam meninas e traçam para elas um único e fatídico destino”, filoosofou.

Em outro trecho, a atriz continuou: “Ela ficou, sem brinquedos novos até completar 1 ano, se não me engano. Foi ali que chegaram as primeiras bonecas, não sei quem deu, não me lembro, mas me lembro com perfeição quando ela, com um ano de idade, pegou uma boneca no colo e ninou. Fiquei muito espantada”.

Casada com o ator Lázaro Ramos, Taís é militante feminista e na luta contra o racismo. Para ela, padrões de gênero seriam uma “construção social” e a inclinação de sua filha aos gostos que tem, portanto, não seriam naturais. Veja o relato completo:

Tenho uma filha de 2 anos e oito meses que ama rosa, enlouquece com princesas, brinca de mãe e filho o dia todo e chora quando entra numa loja de brinquedos querendo ferro e tábua de passar! Socorro! Confesso que, cada vez que vejo esse movimento todo dela, me arrepio da cabeça aos pés. Parece piada que minha filha aja de maneira tão contrária a tudo que eu acredito; mais ainda, de maneira contrária a tudo que prego no meu dia a dia, a tudo que acredito que seja uma construção social das mais cruéis que segregam meninas e traçam pra elas um único e fatídico destino, a tudo que fuja do roteiro traçado por essa construção que seja carregado de culpa e julgamentos! Não acredito que existam brinquedos de menina ou de menino. Quando minha filha nasceu, não comprei um brinquedo. Bom, ela tinha um irmão de 3 anos, a casa já estava cheia de brinquedos e ela não precisava de nada além daqueles. Assim ela ficou, sem brinquedos novos até completar um ano, se não me engano. Foi ali que chegaram as primeiras bonecas, não sei quem deu, não me lembro, mas me lembro com perfeição quando ela, com um ano de idade, pegou uma boneca no colo e ninou. Fiquei muito espantada, mas sabia que ela estava reproduzindo o que fazíamos com ela, mas e as princesas? Pode ser influência das amiguinhas. E a cor rosa? E a predileção por saias e saias que rodem? E a paixão por panelinhas e fogão? E o ferro e a tábua de passar, minha gente?! Acredito que seja tudo repetição do que ela vê à sua volta, mas ela também vê (e muito) outras coisas… até pq quando senti esse movimento, a minha primeira ação foi apresentar a ela outras opções, para que ela pudesse perceber que além do mundo de fadas, bonecas, saias, panelinhas e princesas existe muita coisa legal com que ela também pode brincar. Não adianta, ela gosta desse mundo, esse é o mundo de brincadeiras que ela escolheu pra chamar de seu. Eu, como mãe, acredito que devo continuar dando opções para que ela sempre saiba que pode sim ser o que quiser: astronauta, bailarina, bombeira, princesa, médica, fada, engenheira, cozinheira, professora, princesa, passadeira… não importa, o que importa é ela conquistar a liberdade de ser o que ela quiser.

A post shared by Tais Araújo (@taisdeverdade) on

 

Anúncios

23 comentários sobre “Taís Araújo desabafa sobre filha de 3 anos gostar da cor rosa e de princesas: “Parece piada”

    1. Deixa ver se entendi, sua filha brincar de boneca, ter preferência pela cor rosa, etc. é anormal, normal seria se gostasse de tudo ao contrário, para construção social do anormal, para ser normal…Loucura total, construção do Drag Queens ou Anárquico-Queer…Mundo Louco!

  1. Imagina se a filha gostasse de brinquedos de menino bem provável que ela iria injetar testosterona ou vice-versa em caso de menino. Biologia não é brincadeira.

  2. Cada dia mais a imbecilidade prospera!
    A criança tem menos de 3 anos de idade e quem ensinou a ela ser menina e gostar de brinquedos de menina?Isto é natural,inato,espontâneo!

  3. Para o mundo que eu quero descer! Não tem o que fazer mesmo? Vai Ajudar os necessitados, vai ajudar no Hospital do câncer. Minha mãe dizia que, mente vazia da em merda!!! Ou vai para Cuba! Hehehehe

  4. TENHO PENA DESTAS CRIANÇAS, QUE DEVERIAM SER APENAS CRIANÇAS, MAS PARECEM COBAIAS NAS MAOS DE PESSOAS QUE QUEREM A TODO CUSTO MUDAR O CURSO NATURAL DAS COISAS….VERGONHA

    1. E bota vergonha nisso Jose Derli Bender! Querem a todo custo, convencer ao mundo, q tudo é manipulado! Já não basta o campo político dos partidos! E é pra ter pena mesmo da criança, pq com a atitude dela, na sua inocência, dando sinal pra mãe, pra rever seus conceitos, e a mãe às cegas, está vendo uma contradição no campo das ideias! E o pior, trata-se de uma criança inocente e filha dela! Imaginem se não fosse…

  5. Concordo plenamente com você, José Derli !!
    Ainda ontem vi um vídeo com uma médica afirmando que a ideologia de gênero não existe sob o ponto de vista científico: em Ciência, homem é homem e mulher, mulher! E ainda afirma que as crianças não podem ser cobaias dessa infame ideologia que, na verdade, objetiva destruir a família no modelo judaico cristão da nossa civilização ocidental : pai, mãe, filha e/ou filho !
    A família tradicional, maioria no Brasil, deve dar um basta nessa ideologia idiota e aos seus propagadores tipo essa imbecil Tais Araújo !

  6. Ô meu Deus, o que essa cretina quer? Que a filha seja uma “menina viada, sapatão da lambada”?

    Ninguém fica exposto tanto tempo à Rede Globo sem sofrer sequelas…

  7. Legal que ela fica triste da criança ter feito a. Escolha por bonecas, e diz que quer que a filha tenha liberdade de escolher con o que brincar.. Contradições típicas da esquerda…

  8. Esta moça da reportagem, com a cara de paisagem, acha estranho o que é natural. Esdrúxula é a filosofia que prega. Ouça a música Zoé de Nando Reis e verá que terá muito que aprender com sua filha.

  9. Parabéns Tais Araujo! Gosto muito de vc. Acredito que sua filha esteja te iluminando, te dando uma oportunidade de refletir e entender que a ideologia do gênero não existe. Deixa que ela entende bem deste assunto. Boa sorte em seus trabalhos como atriz.

  10. Impressionante como essas pessoas q se denominam “feministas” deturpam as coisas, deixe as crianças serem crianças, deixem brincar, deixem elas descobrirem as coisas sem imposição, ela só tem 2 aninhos, o tempo e uma supervisão bastam para q elas encontrem “x” “y” ou “z” …vcs estão deixando o mundo muito chato afe!!!

  11. a alt-right pega a declaração de um artista [gente que só merece o desprezo, porque artista é de “esquerda”] e não sabe lidar com a diversidade de pensamentos e opiniões. distinto bot da alt-right, a filha de Thais não vive em uma bolha, ela habita uma sociedade que constantemente bombardeia as crianças com padrões de gênero.

Deixe uma resposta