Em referência ao Kit Gay, Bolsonaro diz: “Essa imoralidade do Santander nasceu lá em 2010”

O deputado Jair Bolsonaro postou um vídeo em seu Facebook no qual comentou o caso do banco Santander. Para ele, esta imoralidade com as crianças nasceu em 2010, na ocasião em que a Câmara discutia a aprovação do Kit Gay nas escolas.

O projeto, na época, visava entregar para crianças em idade escolar e até mesmo pré-escolar um material que incitava relações sexuais entre pessoas de mesmo gênero e, o que é ainda pior, tratava com relativismo a questão da pedofilia.

O material foi apelidado de Kit Gay e gerou polêmica. Na ocasião, Bolsonaro foi um dos principais nomes conhecidos a bater de frente com esta agenda, e foi por isso que se tornou muito conhecido desde então.

Anúncios

10 comentários sobre “Em referência ao Kit Gay, Bolsonaro diz: “Essa imoralidade do Santander nasceu lá em 2010”

  1. Coservador, facista, retrógrado. …Pode chamr-nos do que quizer, não importa. Não vamos engolir essas ideologias. Todos tem o direito de usarem os seus corpos como quiser desde que não interfira nas nossas Vidas

    1. Direito de escolha todos tem por direito sim, mas não é por isso que se pode impor a menores de idade a baixaria como se fosse normal sobre a fajuta justificativa de ir contra a dita fobia. Respeitar o outro não significa ensinar e conduzir para que seja igual, mas aceitar diferenças a modo que não precisar ser como mas respeitar como cada um é

    2. Ter vergonha na cara não é conservadorismo, é pudor; ser contra um kit gay não é ser homofóbico, é ser contra o incentivo infantil à sua prática; ser contra a exposições como a aceita pelo Santander não é ser contra a arte e sim preserva-la de pseudo artistas que rotulam lixo como arte; ser a favor do militarismo não é ser fascista e sim dar preferência a um país mais seguro, com a lei e a ordem sendo impostas em defesa da população produtiva e pacífica. E, por último, hoje, ser de direita não é ser dono da verdade mas sim aceitar debatê-la sem esquecer que a esquerda destruiu financeira e moralmente o Brasil e que, por isso, não pode ficar impune. Abaixo ‘todos’ os corruptos do Brasil. Abaixo, in memória, Guevara, Fidel, Mao, Chaves e Hitler. Abaixo Maduro, Lula e Dilma, Zé Dirceu, Palocci, Geddel, Cunha. Abaixo esses movimentos ‘pseudo sociais’ como CUT e MST, que nada mais são que funis esperando pelo dinheiro público em troca de badernas organizadas para defender seus apadrinhados ideológicos.

      1. Linda resposta, Leopoldo! Os esquerdopatas acham que só eles têm razão e estão acima das leis. Mas são uns pobres de espírito, com uma moral mínima e um ego doentio e máximo!

  2. Galera eu sou gay mas sou totalmente contra esse kit gay. Analisando aquela cartilha, nossa… É um material muito explícito para crianças de 6anos, não concordo com isso. Mesma coisa essa exposição, essa obra chamada de “criança viada” além de ser um estímulo a pedofilia, trás a ideia de perversão e eu como gay me sinto até ofendido porque o homossexualismo não está necessariamente relacionado a perversão. Ainda bem que o Santander cultural cancelou essa pouca vergonha

    1. Vitor,sabemos que concorda ou não com essa afronta a religiosidade e as inocentes crianças,não quer dizer que se trata de ser gay o hetero, é questão de caráter. Quem fez essa exposição, fez com intuito de criar essa discórdia entre gay e hetero pior que conseguiu!

  3. Concordo com as duas procissões, do Leopoldo hétero e do Vítor que é gay.
    As escolhas são feitas quando você tem discernimento e idade para suas escolhas.
    Eu sou hétero, mas não tenho o direito de julgar.
    Crianças vivem a sua inocência e, devem permanecer nela. Nao cabe a nenhum adulto espor suas opinioes, conviccoes ou generos a elas.
    Tem que ter respeito e conaciemcia. Ifelizmemte existem mentes duentias que usam debates como esses para expor seus desejos.
    Isso sim, são criminosos doentes tentando imperar o inferno na terra.
    Só cabe a cada um fazer suas escolhas, mas não cabe a ninguém impôr aos outros.

Deixe uma resposta