Aliada de Dilma, Katia Abreu manobra para livrar amigos de contribuição previdenciária

por Rafa Silva

 

Farinha pouca, meu pirão primeiro“. Essa parece ser a lógica reinante em boa parte do sistema político brasileiro. Num momento em que o governo Temer anuncia um tremendo déficit para 2018 – em especial pela pressão exercida pelos gastos previdenciários -, grupos de pressão como associações do Funcionalismo e a elite do setor rural fazem tremendo esforço para manter seus privilégios às custas do restante da população.

Nesta terça feira (12), o Senado promulgou uma “PRS” – Projeto de Resolução do Senado – , tratando da questão do Funrural. O tema, espinhoso, versa sobre a cobrança de valores previdenciários de grandes empresários do setor agrário que ingressaram com ação, alguns anos atrás, para não pagarem sua parte à previdência social. Neste ano, 2017, a liminar que garantia seu inadimplemento caiu, gerando protestos e mobilizações.

A PRS – encabeçada por Katia Abreu, aliada de Dilma Rousseff -, é um escárnio com os pequenos produtores que pagaram em dia suas contribuições e os milhões de brasileiros que serão afetados por uma reforma da previdência que se avizinha. Além disso, especialistas dizem que a medida é mera demagogia para que Kátia Abreu recupere seu prestígio dentro do setor agrário.

Ou seja: ao mesmo tempo que acena com medidas populistas que não funcionam, a Senadora também brinca com um rombo multibilionário que hoje coloca o país em cheque.

São ações como essa que facilitam o trabalho da esquerda de culpar os empresários pelo rombo da previdência…

 

 

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Aliada de Dilma, Katia Abreu manobra para livrar amigos de contribuição previdenciária

Deixe uma resposta