Editor do Zero Hora diz ter “vontade de passar bala” em seguidores do MBL

Leandro Brixius, editor do Zero Hora, publicou em seu Facebook um comentário polêmico sobre seus sentimentos pelos seguidores do Movimento Brasil Livre.

Leandro disse que tem “vontade” de “ser comunista do jeitinho que eles [seguidores do MBL] imaginam” e de “passar a bala neles”.

Quem será que tem um problema com ignorância, os seguidores de um movimento democrático ou um “jornalista” com síndrome de cangaceiro?

a7ba672b-b88f-4bb7-894b-03e27318f7b1 (1)

Curiosamente, o jornalista está participando da manifestação da extrema esquerda em apoio a “Queermuseu”, exposição promovida pelo Santander Cultural que foi cancelada por promover a zoofilia, pedofilia e escárnio ao cristianismo.

Currículo atualizado de Leandro Brixius: jornalista sicário da extrema esquerda que ataca movimentos democráticos e defende exposições “de arte” imoral. Sonho: ser um comunista e passar bala no cidadão de bem.

Que feio, Zero Hora, estão precisando de um editor melhor.

Anúncios

34 comentários sobre “Editor do Zero Hora diz ter “vontade de passar bala” em seguidores do MBL

    1. Não adianta apenas boicotar o jornal, tem que boicotar também todas as marcas que anunciam nele, e também as pessoas que compram esses produtos.

      De que adianta você e meia dúzia de gente não comprar um jornal vendido pra milhares de pessoas, se empresas que anunciam nesse jornal vendem para esses milhares de pessoas?

      Cada um de seus amigos, parentes, colegas nas redes sociais (virtuais e fora da internet) tem que saber porque estão sendo excluídas do seu vínculo de amizade: por serem colaboradoras e darem dinheiro pra instituições complascentes.

  1. Há muito deixei de assinar Zero Hora, pois ele se tornou “progressista” demais para um liberal, conservador e cristão. Hoje ZH faz parte daquela mídia revolucionária, multiculturalista de araque, que aceita que os cristãos sejam desmoralizados, mas se cagam de medo de falar qualquer coisa dos muçulmanos. Um multiculturalismo unilateral. Os incomodados que se mudem, pois foi o que fiz.

  2. O problema da esquerda é julgar que a direita nasceu para ser imolada por eles. Vai achando. Leia um pouquinho sobre a Noite de São Bartolomeu e a Noite dos Facas Longas. Bolsonaro vem ai.

  3. Esta ZERO HORA é esquerda até a alma, tendo esta porcaria de editor, que aliás um tal de Flavio Tavares “guerrilheiro comunista” , mau caráter e mentiroso, que fez um documentário do regime militar totalmente com intuito de desinformar, pois o mesmo é agente da KGB e esta em registro seu nome no STB (serviço secreto TECHO), lembrando que deixa de ser agente quando morre ou fogem para E.U.A .

  4. Na família desse cara deve ser avô comendo a netinha, o pai comendo a filha, a mãe dando pro filho, o irmão comendo a irmã, o irmão comendo o outro irmão, o tio comendo a cachorra, etc, aí ele gosta é do exemplo que teve em casa.

    1. Quem errou foi A ESCOLA de não ter avaliado se a exposição era com conteúdo adulto (ou adolescente que já fazem sexo e tem pleno conhecimento de suas preferências)

      Você foi ver a exposição? Não havia NADA escandaloso lá. Nada criminoso. ALGUMAS (4) obras só não eram adequado à crianças pois continham nudez parcial e representação de sexo (muito pior do que criança vê em Ads na internet)

      Acho que muita gente foi rápida pra julgar o conteúdo que NUNCA VIU, só porque se enquadrava em sua agenda anti-oposição. Censuraram ARTE igual DITADORES. Caluniaram e difamaram a cultura LGBT, os artistas, o museu e o banco.

      Será que vão passar o pano nesses CRIMES de calúnia e difamação? De vandalismo? Quero só ver!

    1. A única bala que valentões de internet passam são as de goma que suas mamães lhes dão de sobremesa. Criminosos de GTA choram quando arma de paintball dá coice e faz dodoi na mãozinha. Isso é fato documentado em foruns de games.

  5. Leandro Brixius, deveria providenciar em andar armado, depois da externar seu desejo de violência, alguém pode tomar como desafio e chama-lo à vias de fato.

  6. É difícil entender como uma pessoa com esse tipo de reação pode ser editor de um jornal. Assim como há pessoas que procuram aparecer agredindo, há os sensatos, de gosto apurado, que deploram a mediocridade e sentem uma desagradável sensação quando olham alguém com parafusos, grampos e tatuagens espalhados pelo corpo, verdadeiros monstros. Pior ainda quando se deparam com pornografia explícita. Vendo uma ou duas imagens da referida exposição cheguei a conclusão de que a mesma poderia ser realizada num prostíbulo mas jamais num local freqüentado por famílias.

Deixe uma resposta para Tania Nunes de Menezes Cancelar resposta