Fachin ainda avalia destruir outros áudios gravíssimos recuperados pela PF em gravadores de Joesley

O ministro Edson Fachin avalia destruir áudios recuperados pela PF em gravadores de Joesley Batista. Ele alega que são “conversas invioláveis” entre o dono da JBS e seus advogados, o que parece mais um eufemismo para ocultar provas usando preceitos jurídicos confusos.

Os áudios não são “conversas invioláveis” e usá-los não viola o sigilo entre cliente e advogado, uma vez que o próprio Joesley os entregou quando assinou a delação.

Um investigador disse à Coluna do Estadão que esses áudios complementam os entregues de livre e espontânea vontade pelo delator à PGR na semana passada e que somente juntando os dois é possível chegar à conclusão de que os fatos são gravíssimos.

Anúncios

7 comentários sobre “Fachin ainda avalia destruir outros áudios gravíssimos recuperados pela PF em gravadores de Joesley

    1. Sim gravíssimos, então mostra tudo de uma vez sem sensacionalismo barato de TV sem audiência. Queremos saber para ver se alguma atitude digna neste horror acontece. Agora, mostrar só para tumultuar ainda mais o país não é justo para o povo trabalhador do Brasil. Temos mais o que fazer. Temos filhos pra criar , contas pra pagar. Péssimo exemplo nos dão.

  1. Parece até que o Fachin tem o rabo preso. Engavetou um monte de processos que implicam ao Lula, à Dilma e ao PT. E agora pretende destruir gravações contendo provas concretas sobre a JBS. Será que ele aguentaria uma investigação?

  2. São mais 36 hs de gravação que provavelmente compromete fatalmente o Enrolador Geral da República e o Ministro Ursão da Dilma Fachin. E o ex procurador, depois de 10 hs de depoimento, NÃO VAI SER PRESO!! Será porque se for preso entrega os dois, o Janot e o Fachin? Lembrem-se que as primeira notícias foi de 40 hs de gravação e só aparece 4 hs.

  3. Fachin tornou-se O censor do Brasil?
    Ele está que está enganando quem?
    #SeExpliqueFachin
    Agora mais que antes.
    Será que seu nome e de outros EXCRETÍSSIMOS juízes estão nessas gravações. Além de Janot, óbvio.

Deixe uma resposta