Joesley pagou propina a Mantega para obter dinheiro do BNDES, diz TV

Joesley Batista relatou, em novo anexo juntado a sua delação, ter pagado propina ao ex-ministro da Fazenda Guido Mantega para obter um empréstimo bilionário do BNDES e construir uma fábrica de celulose da Eldorado no Mato Grosso do Sul.

De acordo com reportagem da TV Globo, Mantega recebeu o equivalente a 4% do contrato de financiamento e outros participantes do esquema, 1% – são eles Wagner Pinheiro, ex-presidente da Petros, fundo de pensão da Petrobras; Guilherme Lacerda, ex-presidente da Funcef, fundo de pensão da Caixa; e João Vaccari, ex-tesoureiro do PT.

Joesley afirmou que agiram em prol dos interesses da J&F, mesmo sem ter recebido propina nesse caso, o então candidato a presidente e hoje senador José Serra (PSDB) e o ex-ministro e, na época, coordenador de campanha de Dilma Rousseff (PT) Antonio Palocci. As negociações ocorreram entre 2009 e 2010.

Joesley conta que o pedido de empréstimo foi feito em 2009, por ele próprio, ao então presidente do BNDES, Luciano Coutinho. Houve, porém, empecilhos e negativas, mas o empresário conseguiu contorná-los com a compra de apoio. Segundo Joesley, todos os citados atenderam aos pedidos de ajuda dele e agiram para beneficiar a J&F. A fábrica de celulose da Eldorado Brasil S.A. foi inaugurada em 12 de dezembro de 2012.

A informação é do Valor.

Anúncios

Deixe uma resposta