Na CPI, diretor do BNDES entrega: “Óbvio que há ingerência”

Carlos Thadeu de Freitas Gomes, o diretor da área Internacional do BNDES, foi ouvido nesta quarta-feira na CPI do BNDES. Ele disse que “é óbvio que há ingerência” do Poder Executivo na instituição.

Caros Thadeu foi claro como água de bica: “O processo decisório na aérea internacional não depende do banco. O banco executa. São decisões de governo que o BNDES simplesmente executa. A escolha dos países não é decisão do banco. São acordos soberanos, não acordos comerciais simples, são decisões entre governos.”

Anúncios

Deixe uma resposta