Homem é preso pela PM após abusar de mulher em ônibus, mas Clara Averbuck diz não registrar queixa por “não acreditar no sistema”

Ainda que existam delegacias voltadas para a mulher, algumas delas especializadas em casos de abusos sexual (estupro), a feminista Clara Averbuck alegou não registrar queixa contra o motorista que supostamente a abusou por não confiar na polícia.

Eis que coincidentemente hoje um homem foi preso pela polícia, em São Paulo, após abusar de uma mulher dentro de um ônibus. O potencial estuprador teria, segundo a vítima, apalpado os seios dela, como informou o G1.

cb9b6384-37eb-46d6-b662-ae40c92f9e44.jpg

É sabido que casos de abuso dentro de metrôs e ônibus são comuns, muitas mulheres se queixam de serem encochadas ou indevidamente apalpadas. No entanto, quando uma mulher denuncia esse tipo de coisa é normal que o agressor seja punido severamente, muitas vezes até pelas pessoas próximas ao local. A polícia dificilmente faz vista grossa para esse tipo de coisa.

O caso de Clara é distinto, porque ela fez a denúncia nas redes sociais em vez de registrar uma queixa ou simplesmente ligar para a polícia no ato. Com a queixa pública, ela conseguiu atenção, virou capa em diversos jornais, e o seu suposto agressor foi punido perdendo o emprego.

Se a feminista tivesse, por exemplo, registrado a queixa, o caso seria obrigatoriamente investigado pela polícia. O motorista acusado seria chamado para depor, teria que esclarecer o caso, e possivelmente descobririam se ele realmente fez isso ou não. Talvez com o caso vindo a tona outras possíveis vítimas também o denunciassem, o que comprovaria a versão dada por Clara e traria a desejada punição a um estuprador. Ela optou, em vez disso, por denunciar o suposto crime ao portal UOL.

Anúncios

2 comentários sobre “Homem é preso pela PM após abusar de mulher em ônibus, mas Clara Averbuck diz não registrar queixa por “não acreditar no sistema”

  1. ACHO UMA INCOERÊNCIA QUANDO SE DIZ QUE ESSE TIPO DE CRIME NAO TEMA DEVIDA ATENÇÃO NO BRASIL , POIS COMO DIZ O TEXTO , AS PESSOAS COMO UM TODO ABOMINAM UM CASO DESSE E ELA PODIA SIM TER REGISTRADO QUIXA MAS PREFIRIU APARECER NAS MIDIAS, APENAS PRA DIZER QUE NO BRASIL NAO SE DA O DEVIDO TRATAMENTO AS VITIMAS DESTE CRIME.

Deixe uma resposta