Enquanto sindicatos de professores defendem Lula, profissionais são agredidos e ensino sofre com décadas de descaso

Após a professora Marcia Friggi denunciar em seu Facebook a agressão que sofreu de um aluno que, segundo ela, seria um adolescente de 15 anos; sua publicação viralizou e gerou comoção em todos os brasileiros, insatisfeitos com a escalada de violência dos últimos anos no país, inclusive em sala de aula.

Episódios como esse se sucedem diariamente em todos os Estado brasileiros, com especial negligência do poder público e dos sindicatos de professores que, durante os 13 anos do período petista, quando nossa educação desabou em todos os rankings avaliativos da área, preocupou-se apenas em atacar governadores e adversários políticos do petismo e, mais recentemente, em sair às ruas em defesa de Lula.

Com arrecadação bilionária, os sindicatos de professores deveriam se preocupar em cumprir sua função: a de defender trabalhadores e trabalhadoras da área a qual supostamente representam. Ao contrário, optam pelo caminho da politicagem suja, em defesa de centrais sindicais e partidos políticos.

O falido modelo sócio-construtivista na educação pública, responsável por grande parte da decadência do ensino nacional, é protegido pelos sindicatos alinhados aos ideais marxistas de Paulo Freire e colabora para que a escalada do terror em sala de aula chegue a esses níveis, cada vez mais perigosos. A professora Márcia Friggi, infelizmente, é mais uma vítima desse sistema que, talvez, ela mesma insista em defender.

Anúncios

7 comentários sobre “Enquanto sindicatos de professores defendem Lula, profissionais são agredidos e ensino sofre com décadas de descaso

  1. Notem que essa mesma “vítima” defende essas ações, e só acha errado que sendo ela apoiadora de agressões, sofra com o que ama.
    Tanto é que foi fazer textão no Facebook, mas NUNCA buscará reparação judicial, quanto a uma ação que ela não quer ver extinta, que é reação física de destruição do que não se gosta.

  2. Não funciona a medida socioeducativa. Qual a porcentagem que se recuperaram com isso? Ninguém nunca informou sobre quem se recuperou e passou a viver uma vida digna. Balela isso. Conversa pra boi dormir. Essa educação vem de BERÇO.

  3. Quanta bobagem, quem escreveu isto é uma pessoa que está fora do universo do sistema educacional, onde a escola nada mais é que uma representação do que está ocorrendo dentro da sociedade. O texto está querendo direcionar um problema social para um contexto político maniqueísta.

Deixe uma resposta