Dinheiro público bem utilizado: curso sobre Harry Potter na Unicamp reúne fãs da saga com mais de 50 anos

Informa a Folha:

Um grupo de 65 pessoas com mais de 50 anos participou da primeira de 16 aulas sobre a saga criada pela escritora inglesa J. K. Rowling, na terça-feira, a saga Harry Potter. A oficina “Harry Potter: História, cultura e relações de gênero no mundo mágico de J. K. Rowling será ministrada até dezembro na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), sob o comando do professor de história Victor Menezes, 25.

Sim, é para isso que estão usando o dinheiro do pagador de impostos. Como se não bastasse o curso de pós-graduação em esquerdismo.

Anúncios

6 comentários sobre “Dinheiro público bem utilizado: curso sobre Harry Potter na Unicamp reúne fãs da saga com mais de 50 anos

  1. 1) A única mestra que pode ensinar algo sobre Harry Potter é J.K.Rowling.
    Um carinha que não tem nem idade para ser professor “universotário” vai querer explicar o complicado Universo Mágico criado pela escritora?
    Aliás, ela foi consultada a respeito desse evento cosplay da meia idade? Autorizou o reality show?
    A UNICAMP tem a nota fiscal do pagamento dos direitos autorais ou é uma organização pirata?
    2) A donas Dilma e Marilena Chauí – respectivamente a Madame Min e a Maga Patalógica do PT – prometeram aparecer na UNICAMP em suas vassouras executivas e fazer apresentações de bruxarias petistas.
    A Madame Min dirá que o Voldemort Temer queria dar um golpe em Hogwarts e que Harry Potter é filiado ao PT – sabe como é, Potter, Pó-Tê, PT, Pê-Tê – , enquanto a Maga Patalógica explicará que Severus Snape é um agente do FBI, interessado na camada pré-sal de Hogwarts.
    O senador Randôlfi da Rede Marinista – o Harry Potter acabado e da extrema esquerda – tirará selfies na UNICAMP, para arrecadar dinheiro para sua maga superiora, a Bruxa das Florestas Avatarianas.
    3) O lado positivo da brincadeira: algumas tiazonas não precisarão gastar nada para as fantasias de bruxas.

  2. Olha, enquanto “curso de Harry Potter” eu compreendo. Foi um fenomeno editorial, nao se vendem milhoes de exemplares de uma obra que é um lixo literario. Eu acho incrivelmente valido a exploração de novos baluartes da literatura no estudo moderno. A coisa começou a feder quando eu li o “relacoes de genero”. Ai eu ja vi cagada esquerdista, problematização, feminazismo.

  3. Antes de criticarem, por favor, pesquisem sobre o que é o curso, como está sendo oferecido, para quem e qual o intuito. Se vocês tivessem feito uma mínima pesquisa sobre o Programa UniversIDADE, programa de extensão da Unicamp onde está sendo oferecido o curso, saberiam que ele é gratuito e que todos os professores das 170 oficinas que compõem o programa – inclusive o professor da oficina Harry Potter – atuam como voluntário. Isto mesmo! Não recebem um centavo para ministrarem cursos, logo, não estão ‘usando indevidamente o dinheiro do contribuinte, por mais que mereciam devido a qualidade dos cursos que são oferecidos neste programa de extensão. Sobre a questão de como é gasto o dinheiro do contribuinte, sejam inteligentes e pesquisem a quantidade de cursos oferecidos na Unicamp bem como as pesquisas que tem sido realizadas. Creio que vocês não devam saber (pois esse tema vocês não se importarem em noticiar no site): atualmente a Unicamp é considerada a melhor universidade da América Latina (em ranking feito por um instituto do Reino Unido). E sabe qual é um dos motivos para isso? Justamente o seu potencial de inovação e pesquisas realizadas. A oficina em questão é mais um exemplo de como a Unicamp preza por novas pesquisas e estudos dos mais variados temas de interesse tanto da universidade quanto de seus alunos, pesquisadores e professores. Se querem fazer jornalismo sério, pesquisem antes de saírem reproduzindo ideias “senso comum” como estas que colocaram ao final da reportagem. Vejam também a ementa da oficina, disponível no site da Unicamp, para saberem melhor do que se trata o curso. Toda crítica é válida, mas sejam minimamente inteligentes ao fazê-la! Da forma como vocês expuseram o tema só demonstra o enorme despreparo da equipe como jornalistas ou divulgadores de informações.

Deixe uma resposta