Janaína Paschoal expõe relação entre o crime fiscal de Dilma e a corrupção da dupla JBS/BNDES

Alguns petistas ainda dizem que “Dilma é honesta”. Porém, a advogada Janaína Paschoal mostra que o crime fiscal de Dilma (punido com o impeachment) deve ser muito mais grave do que se pensa. Janaína diz que quem “disser que pedaladas são crimes menores está de má-fé”.

No Twitter, ela disse: “Lembram quando, no Senado, eu falava na sangria? Então, as provas não param de aparecer. Não vê quem não quer. As pedaladas foram feitas para falsear a sangria na Petrobrás, na Caixa, no BB e, principalmente, no BNDES. Eles sangravam nosso dinheiro e cometiam falsidade ideológica nas contas públicas para encobrir o rombo! O PT comprou o silêncio de muitos”.

Ela prossegue: “Lembram quando eu falava em BNDES? Eles, invariavelmente, diziam: Dra. BNDES não faz parte do processo! Fazia sim! Como fazia a Petrobrás. Que o PT sangrava o BNDES, via JBS, EIKE e outros, eu já sabia. Também sabia que era doloso, dadas as falsificações na escrituração. No entanto, depois, todos souberam que sobrava umas malas para os caciques dos outros partidos se calarem!”

Janaína ainda lembra que muitas vezes a linguagem do TCU é técnica e por isso as pessoas não entendem a gravidade dos crimes: “O TCU tem linguagem técnica, mas eu traduzo: transferiram o nosso dinheiro para os EUA! Por isso os irmãos Ley quiseram mudar para lá. Além da sangria que EU desvendei durante o processo de impeachment; agora, se constata que os algumacoisaLey estavam transferindo patrimônio”.

A coisa fica feia mesmo quando vemos a conexão com a JBS: “Vocês acreditam mesmo que a JBS pertence a Wesley e Joesley? Eu não! Se investigarem bem, chegarão aos verdadeiros donos. Pensem: é muito benefício, muito risco, para enricar dois ex-açougueiros. Podem chamar de louca; são 20 anos debruçada sobre o Dir. Penal. Quero alertar para o risco que corremos agora. Todas essas fraudes que envolvem a JBS serão usadas para tentar anular a delação dos Ley. Fazer um ajuste nos benefícios é possível. Eu indico simplesmente processar pelas “novas” constatações. O perigo é utilizar as fraudes para anular as provas apresentadas; para jogar no lixo os áudios e vídeos incontestáveis; para negar as malas. Aqueles que realmente se importam com o Brasil precisam estar atentos. Eu quero que todos os responsáveis sejam punidos”.

Excelente ideia de Janaína. É preciso cancelar o acordo de impunidade, sem deixar ninguém solto indevidamente. Ademais, é importante investigar a fundo o que estava por trás das pedaladas. A explicação da advogada é bem coerente.

Anúncios

Deixe uma resposta