Roberto Jefferson detona movimento ‘Vamos!’ da extrema esquerda: “Vamos te roubar, vamos te passar pra trás, vamos fraudar as urnas, vamos te enganar”

Esta semana sites de extrema-esquerda petista como Brasil 247 anunciaram o surgimento do Vamos!, um movimento esquerdista que é inspirado no “Podemos”, da Espanha.

O “Podemos” é um partido espanhol alinhado com interesses da extrema-esquerda globalista. Ano passado, um dos líderes do partido esteve no Brasil elogiando Luciana Genro, por exemplo. Porém, antes de ser um partido o “Podemos” se formou como “movimento social”, um grupo de espertinhos disfarçando suas intenções partidárias com a roupagem de preocupação social.

O Vamos! tem um viés bem similar. Ele reúne toda a elite intelectual esquerdista para “horizontalizar” o movimento e esconder o viés partidário. Segundo Guilherme Boulos, líder do grupo terrorista MTST, a ideia “é assegurar uma participação que não seja restrita a militantes. Essa ferramenta de rede permite que mais gente participe, pessoas que às vezes não têm o costume de se organizar e atuar em movimentos de rua”, mas o ex-deputado Roberto Jefferson meio que discorda disso.

O Vamos! contará também com integrantes de PSOL, PT, PCB, UNE, Uneafro, CUT e outros.

Anúncios

4 comentários sobre “Roberto Jefferson detona movimento ‘Vamos!’ da extrema esquerda: “Vamos te roubar, vamos te passar pra trás, vamos fraudar as urnas, vamos te enganar”

  1. Esse Roberto Jefferson tem cada tirada interessante, e pegando gancho na sua tirada eu concluo: vamos resistir e vamos eliminar esses esquerdopatas (PT, PSOL, REDE, PCO, PDT, PSdoB…) de nossas vidas.

  2. Parabéns Roberto Jefferson, você é 10! Já assisti algumas entrevistas e ele é de maturidade excepcional.
    E tem razão não parte nada que preste destes comunistas.
    Ano que vem Jair Bolsonaro na Presidência e Roberto Jefferson na Presidência do Congresso
    Abraço a todos

  3. A direita, quando não consegue mais enganar, ela muda o nome fantasia, a razão social, ideologicamente permanece o mesmo, o partido da boquinha, do quem paga mais. São verdadeiras mercadorias que independe de quem está no poder, eles estão juntos e misturados, uns vermes que se movem de acordo com suas conveniências.

Deixe uma resposta