Juiz Marcelo Bretas pede a Tribunal que mantenha sindicalista preso

O juiz Marcelo Bretas, responsável pela primeira instância da Lava-Jato no Rio, enviou ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região um documento em que pede que seja mantida a prisão preventiva de Marcelo Traça, presidente do Sindicato de Empresas de Transporte Rodoviário do Rio. O TRF irá analisar um pedido de habeas corpus de Traça ainda nesta semana.

Traça foi preso no dia 31 de julho, acusado pelo Ministério Público de participação em esquemas de corrupção no setor de transporte público. Segundo a Operação Ponto Final, o esquema, que envolveria ainda o ex-governador Sérgio Cabral, movimentou ao menos R$ 260 milhões.

Segundo Bretas, a posição de destaque de Traça na organização criminosa faz com que seja “inadequada qualquer outra medida cautelar alternativa que possibilite o contato do representado com outros investigados, com qualquer pessoa com acesso ou influência…”.

A informação é da coluna Radar On-Line.

Anúncios

Deixe uma resposta