Janot toma mais uma decisão estranha e faz delação da OAS “encolher”

Vendida no início como “mega delação”, a colaboração premiada da construtora OAS tinha sido negociada com mais de 50 envolvidos, mas foi desidratada e reduzida a menos da metade de disso. Cerca de 20 pessoas, entre acionistas e executivos, devem assinar o compromisso para confessar delitos da empreiteira.

De acordo com a Folha de São Paulo, a decisão de “enxugar” a delação da OAS foi tomada porque “a força-tarefa” da Lava Jato quer fechar a colaboração da empreiteira antes da saída de Rodrigo Janot do cargo de Procurador-Geral da República, em 17 de setembro.

É estranho, para dizer o mínimo. Janot está comprometendo toda uma negociação que envolve dezenas de pessoas apenas para “cuidar do caso” antes de sair do cargo de PGR. Qual seria a preocupação com o fato de sua sucessora, Raquel Dodge, assumir o caso? Há algo que ela não possa saber?

Anúncios

4 comentários sobre “Janot toma mais uma decisão estranha e faz delação da OAS “encolher”

  1. 1) Esse é o Janô Fim-de-Feira: eram mais de 50 dedo-duros, passam a ser apenas 20.
    Quer dizer que mais de 30 corruptos ladrões, espertalhões, covardes e certamente milionários “dançaram”?
    Que tal processarem o Janô por quebra de contrato?
    O (ainda, infelizmente) chefão da PGR prometeu, e não cumpriu o acordo.
    Coisa feia, dotô Janô! Um acordo com dedo-duro tem de ser sempre cumprido.
    2) Quanto menos caras contando historinhas conflitantes e mentirosas, melhor para os eficientíssimos procuradores federais.
    Não passarão vergonha tentando explicar para os repórteres mais inteligentes porque o fulano contou uma versão diferente do sicrano.
    Por exemplo, por que a esposa do Joesley Bandido conta uma versão diferente daquela dos delatores da JBS, aí o maridão herói do Janô corre para encaixar a narrativa.
    3) A doutora Raquel Dodge sabe que o Janô deixará “booby traps” (armadilhas), para que ela se lembre dele com todo o carinho – a mesma ternura demonstrada quando ambos estão juntos, nas fotos.
    Mas o Janô não dará sua inestimável coleção de DVDs com gravações não autorizadas.
    “Coitadas” das máquinas trituradoras de papel e de DVDs da PGR: devem estar trabalhando até de madrugada, antes da mudança de direção.
    Por motivos óbvios, é claro.

Deixe uma resposta