Janot recebe aluguel pago com auxílio-moradia que ajudou a conceder

Em setembro de 2013, logo quando assumiu o cargo de procurador-geral da República, Rodrigo Janot publicou uma portaria regulamentando o auxílio-moradia para membros do Ministério Público.

O auxílio acabou beneficiando o próprio Janot. Isso porque ele aluga desde 2012 um apartamento em Brasília para o secretário-geral do Ministério Púbico da União, Blal Dalloul, que conseguiu o direito ao benefício graças a um despacho de Janot.

De acordo com documentos obtidos pelo site Poder 360, o valor cobrado é R$ 4 mil, quase o mesmo do auxílio-moradia, R$ 4,3 mil. O inquilino é um dos responsáveis pela proposta de orçamento para o MPF para 2018 e defensor de mais verbas para a instituição.

“Nosso desejo [do MP] de que esse orçamento seja a melhor referência para a futura gestão é um desejo até de sobrevivência. Porque o MP precisa continuar forte”, disse Blal Dalloul ao apresentar o orçamento para outros procuradores.

Hoje o auxílio-moradia é pago a todos os membros do MP, graças a uma resolução do Conselho Nacional do Ministério Público, que é questionada no Supremo Tribunal Federal.

Enquanto a Advocacia-Geral da União defende que o benefício é uma forma de tentar ganhar mais que o teto constitucional, hoje fixado em R$ 33.763, Janot entende que a resolução do CNMP “não contraria, mas, antes, dialoga com o sistema remuneratório de subsídio”.

A informação é do portal jurídico ConJur.

Anúncios

Um comentário sobre “Janot recebe aluguel pago com auxílio-moradia que ajudou a conceder

  1. 1) O Janô não deveria receber auxílio-moradia, não é? Se é dono de um apartamento em Brasília, que permanecesse morando nele, não aceitasse os mais de quatro mil reais e desse o exemplo de austeridade pública, especialmente por ser o comandante máximo da PGR.
    2) Se um político tivesse realizado o esquema trambiqueiro que o Janô fez – obter dinheiro público por meio da triangulação – , seria condenado sumariamente pelos super-heróis lavajatistas.
    Se fosse o presidente Temer o locador do apartamento, o Cupido Janô já teria enflechado o air bag traseiro do político do PMDB. E exigido seu impeachment e prisão, é claro.
    Ah, mas com o impoluto e honesto Janô é diferente. Afinal ele é o comandante máximo da shangri-lá lavajatista.
    Ele não fez maracutaia. Apenas cometeu um “equívoco”.
    Político pegar dinheiro público é corrupção.
    Procurador federal receber de forma triangular dinheiro público deveria ser corrupção, mas é um “auxílio”.
    3) Agora se sabe porque o Janô gosta tanto da dona Dilma: ambos são muitíssimo parecidos.
    A soberba arrogante, a truculência com os críticos, o discursinho enrolado de difícil compreensão, a imagem de honestidade habilmente passada para a mídia, o pretenso conhecimento acima da média (técnico energético dela, jurídico dele) e decisões que beneficiaram seus amiguinhos (petistas e esquerdistas dela, procuradores dele).
    Esse Janô é que é o ídolo dos moralistas jacobinos lavajatistas?

Deixe uma resposta