Ao não entregar senha de laptop, Odebrecht humilha o MPF; provocação exige resposta

Renata da Silva Rodrigues, delegada da Polícia Federal que integra a força-tarefa da Lava Jato, fez críticas ao Ministério Público Federal nesta segunda-feira, 7, por não ter recebido acesso ao laptop de Marcelo Odebrecht.

“[É] preocupante para as investigações que a obtenção de evidências contidas no laptop de Marcelo, e que teria sido por ele supostamente indicado à PGR [Procuradoria Geral da República] como importante fonte de prova (contendo inclusive seus e-mails), não tenha exigido como condição sine qua non para qualquer acordo – de colaboração ou leniência, especialmente porquanto possa revelar novos fatos delitivos (…)”, escreveu Renata em críticas ao ao MPF.

Anúncios

Deixe uma resposta