Estadão diz que governo e centrais negociam imposto sindical ainda maior

Embora o imposto sindical esteja com os dias contados devido à reforma trabalhista, a contribuição que os trabalhadores dão aos sindicatos tende a aumentar. Em vez do desconto de um dia de trabalho por ano (cerca de 4,5% de um salário), esse valor será decidido por assembleia, sem teto definido. Duas das principais centrais sindicais do país (Força Sindical e União Geral dos Trabalhadores) defendem que o percentual destinado ao financiamento dos sindicatos pule para 6% a 13% da remuneração do trabalhador. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A “contribuição por negociação coletiva” também é apoiada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), que ainda não informou que percentual defende. A CUT faz oposição ao governo Michel Temer e não participa das discussões por considerá-lo ilegítimo. O presidente da UGT, Ricardo Patah, defende 6% de um salário. “É um valor equilibrado que poderia ser dividido em 12 vezes”, afirmou o sindicalista ao Estadão. O imposto sindical será extinto em novembro.

Segundo o jornal, Temer informou às centrais que o sucessor do imposto sindical será regulamentado por medida provisória sem estipular que valor deverá ser pago pelo trabalhador, inclusive aquele que não é sindicalizado. Pela proposta em discussão, o percentual a ser cobrado será definido na mesma ocasião do dissídio coletivo, o momento em que empregados e patrões negociam o reajuste anual de salário.

As informações são do portal Congresso em Foco.

Anúncios

6 comentários sobre “Estadão diz que governo e centrais negociam imposto sindical ainda maior

  1. O Temer quem que ferrar são esses sindicalistas que estão nas ruas quebrando tudo exigindo sua saída da Presidência para tentarem enfiar o Lula a todo custo, não o povo que só pelo fato de irem ás ruas pedir sua saída já o está apoiando, a gente ajuda o Temer e quem leva a borrachada somos nós.

  2. Os Sindilixos, vão golpear o trabalhador e o empregador, vão fazer ASSEMBLÉIAS, com uma MINORIA JÁ PROGRAMADA COMO SEMPRE E ESTA MINORIA, VAI DIZER SIM A UM SUPERIMPOSTO ONDE ATINGIRA A GRANDE MAIORIA INOCENTE QUE REPUDIA ESTES PARASITAS, UM GRANDE GOLPE, MAIS UM GOLPE E PIOR POR PARTE DE SINDILIXOS QUE SE ENCOSTAM PARA MAMAR DE GRAÇA.

  3. Na minha opinião,nós temos que ser consultado se queremos o desconto se queremos ser sócio de sindicatos que tipo de sindicatos queremos. pois o desconto é dos nossos salários o governo federal ,os sindicatos e outras instituições que se diz defender os interesses dos trabalhadores não os faz o que mais ver é tudo em defesa própria. Na verdade eu vejo como a “CUT,A FORÇA SINDICAL E OUTRA CENTRAIS SINDICAIS “fazem a política partidária e não sindical à última greve que eu vi ser feita foi a dois petroleiros em 94 depois quer o Lula foi eleito as centrais sindicais só trabalharam em função do governo federal e esqueceu o seu verdadeiro papel perante os seus associados e seus outros trabalhadores não associados que pagam o imposto iqualmente ao sócio. e tem mais ainda tem sindicatos que cobra o imposto sindical a mensalidade sindical e a contribuição assistencial do não sócio,é por isso que defendo a consulta aos trabalhadores se eles querem ou não os descontos

Deixe uma resposta