Autoridades da ditadura de Maduro receberam parte dos US$ 98 milhões pagos pela Odebrecht

A Odebrecht comprou arquivos do MBA, Meinl Bank Antigua, no Caribe, para conseguir movimentar propina no exterior. Esses arquivos guardavam dados sobre contas secretas de autoridades da Venezuela que receberam uma parte da quantia de R$98 milhões de corrupção que a empreiteira afirma ter pago para autoridades da ditadura de Nicolás Maduro.  A Venezuela é o país estrangeiro que mais recebeu propinas da empreiteira, segundo delatores do grupo.

 

Anúncios

Deixe uma resposta