Ana Paula do Vôlei estreia coluna no Estadão detonando esquerda hipocrita dos EUA

Ana Paula Henkel, do vôlei brasileiro, tem chamado muita atenção por seus comentários políticos nas redes sociais e também por críticas pesadas aos petistas. Hoje ela estreou uma coluna no Estadão, e de imediato já resolveu pegar no pé da esquerda americana. Confira o texto:

Mesmo há alguns anos nos EUA, meu Brasil não para de me dar alegrias.

Ter um espaço como este no Estadão é muito mais do que mereço ou sonhei e, de coração, quero agradecer ao jornal pela confiança. Aos queridos leitores e amigos, conto com a compreensão e a paciência de vocês neste novo desafio.

Nada como estrear junto com mais um título do Grand Prix da seleção feminina de vôlei e gostaria de parabenizar meu querido Zé Roberto e suas meninas de ouro. Nossas campeãs venceram a Itália por 3×2 ontem na China trazendo o título pela 12ª vez! Participei das três primeiras conquistas na quadra e ver que o vôlei brasileiro continua no topo é uma felicidade para mim!

Foi um longo caminho de Lavras, no sul de Minas, até Los Angeles, cidade que cruzou meu caminho e que me acolhe há sete anos, testemunhando incontáveis idas e vindas ao Brasil nesse período. Hoje a Cidade dos Anjos aguenta pacientemente minhas crises de abstinência das quadras e ouve minhas histórias de amor pelo Brasil. Aqui sou a estudante de ciência política e arquiteta da UCLA, quase uma USP da Califórnia, e também a mãe orgulhosa do Gabriel e uma brasileira que tenta explicar para a minha família, vizinhos, clientes e amigos, um pouco do que acontece do lado de baixo do Equador.

Além de universidades como a UCLA, a que mais emprega vencedores de Prêmio Nobel no mundo, grande parte da indústria do cinema e do audiovisual do planeta está aqui. É no Golden State também que se encontra o Vale do Silício, sede de empresas como Facebook, Apple, Google, Microsoft, Netflix, Twitter, Oracle, eBay, Intel, HP, Adobe, Dell, Sony, Electronic Arts, LinkedIn e Yahoo. Até aí, nenhuma novidade. O susto é quando se entende o que a atual geração de líderes empresariais está fazendo com todo o poder conquistado no país da liberdade e do empreendedorismo. O tal “progressismo” pode ser vil até na “land of the free and the home of the brave”.

Um dos primeiros choques para qualquer estrangeiro ao chegar é descobrir que o politicamente correto e o “progressismo”, essa praga que infecta a política brasileira há tantos anos, tem na Califórnia seu olho de Sauron. Quem acha que está aterrizando numa meca do capitalismo logo percebe que as elites do estado formam uma casta de hipócritas que choram pelo fim do tal aquecimento global e por regulações que aumentam impostos e cortam empregos para o cidadão comum, enquanto poluem o ar e o mar com seus jatinhos e iates, e refrigeram suas mansões consumindo mais energia que o necessário para iluminar um vilarejo na África.

Uma grande parte do que o mundo entende por indústria cultural e tecnológica, incluindo seus principais meios e canais de distribuição de informação, tem origem na Califórnia, estado mais populoso do país, e o que acontece politicamente por aqui costuma ter reflexos planetários. Como moradora, posso garantir que isso não é exatamente uma boa notícia para o futuro do Ocidente.

A Califórnia já foi fiel aos ideais que construíram os EUA com uma respeitável história de alternância de poder e pluralismo, mas hoje sua guinada para a esquerda parece irreversível. O estado que deu dois mandatos de governador para Ronald Reagan (1967-1975), pavimentando o caminho de um dos grandes presidentes da história para a Casa Branca, é hoje uma mera lembrança. A vitória de Arnold Schwarzenegger, um republicano “só no nome” que governou como democrata, serviu como canto da sereia da sanidade na política californiana. O atual mandatário, Jerry Brown, é um esquerdista de fazer nossos petistas parecerem moderados.

Idéias têm consequências. Por aqui, temos algumas das mais altas taxas de impostos do país, o que está afugentando empresas e investidores, incluindo a elite de Hollywood que faz filmes e discursos lacrimosos na festa do Oscar, defendendo apaixonadamente as pautas econômicas e sociais da esquerda, enquanto busca paraísos fiscais em outros estados. Matt Damon, Di Caprio, George Clooney ou Meryl Streep, como qualquer outro esquerdista, adoram impostos para os outros.

Os centros de ensino mais importantes do estado, como a Universidade da Califórnia que frequento há 5 anos como aluna, são hoje palco das mais absurdas demonstrações de intolerância contra qualquer pensamento fora do que é permitido pela extrema-esquerda acadêmica. O campus de Berkley da UC, um dos mais conhecidos do mundo, é palco comum de atos de vandalismo contra palestrantes não-esquerdistas, numa escalada de violência que não pode mais ser ignorada e levanta questões muito sérias sobre esta geração de formandos que pode influenciar o mundo nas próximas décadas.

Minha intenção neste espaço é discutir aberta e democraticamente o que acontece na vida cotidiana, nos esportes, e na política americana e brasileira, com uma perspectiva de quem acredita que muitas das experiências testadas por aqui podem servir de reflexão para que possamos aprender com erros e acertos dos dois países na busca de um futuro melhor para nós e para as próximas gerações.

Sei que existe um interesse investido em parte da imprensa para caracterizar o governo Trump, que evidentemente tem falhas, e o atual momento dos EUA, como algo diferente do que é na verdade. Trump não é um presidente perfeito, mas existem mais viúvas de Obama entre o céu e a terra do que podemos contar. Como moradora, imigrante legal e cidadã americana, espero também poder fornecer aos brasileiros informações muitas vezes negadas ou distorcidas em nome de agendas políticas nestes tempos de pós-verdade. Visões binárias no estilo ou é Democrata ou é Republicano, ou é PT ou PSDB, não condizem com as reais necessidades para um amadurecimento político real. As boas idéias não entram no campo apaixonado da cega dicotomia dos gramados de futebol.

Aceitei o desafio de escrever esse blog porque acredito que é preciso cultivar o debate público intelectualmente honesto, transparente e livre. Cabe a cada um de nós contribuir ativamente para a discussão sempre em busca da verdade acima das agendas partidárias e interesses imediatistas, especialmente num país com problemas tão complexos como o Brasil.

O politicamente correto, nosso inimigo comum, não é só um expediente autoritário e rudimentar, ele serve de esconderijo para quem quer viver na Terra do Nunca e mascarar a própria imaturidade com uma capa falsa de tolerância.

Aos bons e inquietos que acreditam que qualquer mudança só virá da responsabilidade individual e de uma opinião crítica e honesta, sejam bem-vindos. Nosso bloco está oficialmente na rua.

Anúncios

55 comentários sobre “Ana Paula do Vôlei estreia coluna no Estadão detonando esquerda hipocrita dos EUA

    1. E quem é Noel, que pelo jeito se irrita com a opinião política de uma ícone, por mérito, do vôlei brasileiro, e anti esquerdista declarada? Ela eu sei quem é…

      1. Boa, Raimundo! Adorei o texto dela. Simples, claro e fácil de entender. Contrário do que os esquerdistas teimam em implantar na cabeça dos desavisados brasileiros.

    2. O texto abaixo representa bem todos os esqueritas iguais a você Noel

      Em uma de suas reuniões, Stalin pediu que lhe trouxessem uma galinha. Agarrou-a forte com uma das mãos enquanto a depenava com a outra. A galinha, desesperada pela dor, quiz fugir, mas não pôde. Assim, Stalin tirou todas suas penas, dizendo aos seus colaboradores: “Agora, observem o que vai acontecer”.
      Stalin soltou a galinha no chão e se afastou um pouco dela. Pegou um punhado de grãos de trigo e, enquanto seus colaboradores viam, assombrados, como a galinha, assustada, dolorida e sangrando, corria atrás de Stalin e tentava agarrar a barra de sua calça, enquanto este lhe jogava uns grãos de trigo, dando voltas pela sala. A galinha o seguia por todos os lados.
      Então, Stalin olha para seus ajudantes, que estão totalmente surpreendidos e lhes diz: “Assim, facilmente, se governa os estúpidos. Viram como a galinha me seguiu, apesar da dor que lhe causei?”
      Assim é a maioria das pessoas, seguem seus governantes e políticos, apesar da dor que estes lhes causam, pelo simples gesto de receber um benefício barato ou algo para se alimentar por um ou dois dias.

      1. Alfeu, acontece que esquerdista não se dá bem com a verdade e quando lê algo assim tem um chilique.

    3. Veja o texto: Foi um longo caminho de Lavras, no sul de Minas, até Los Angeles, cidade que cruzou meu caminho e que me acolhe há sete anos, testemunhando incontáveis idas e vindas ao Brasil nesse período. Hoje a Cidade dos Anjos aguenta pacientemente minhas crises de abstinência das quadras e ouve minhas histórias de amor pelo Brasil. Aqui sou a estudante de ciência política e arquiteta da UCLA, quase uma USP da Califórnia, e também a mãe orgulhosa do Gabriel e uma brasileira que tenta explicar para a minha família, vizinhos, clientes e amigos, um pouco do que acontece do lado de baixo do Equador.

    4. E vc? Quem és tu? Que não tem o mínimo de inteligência para interpretar um ótimo artigo escrito por uma pessoa que vc não chega ao chinelo dela. Deve ser inveja ou IGNORÂNCIA mesmo.

    5. Limpa sua boca pra falar de uma brasileira vencedora, como Ana Paula.
      Meus parabéns por tudo, que vc conquistou para o nosso país, os brasileiros de bem tem orgulho vc.

  1. Já a admirava como uma grande jogadora, mas agora minha admiração aumentou ao ver sua coragem em expor suas idéias contra a corrente do politicamente correto, representado pela esquerda americana e mundial. Vá em frente porque você é a voz de milhares de brasileiros que são contra a doutrinação da irresponsável esquerda brasileira e mundial.

  2. Ana Paula, obrigado pela sua coragem e determinação. Precisamos ampliar o numero de pessoas com opiniões independentes para que corretamente saibamos o que de verdadeiro se passa no Brasil e no mundo. Parabéns e continue firme em sua nova empreitada.

  3. Uau! Que texto! Que conhecimento da situação! Onde estava essa excelente comentarista até agora? Vou acompanhar esse blog. Felizmente mais um espaço para nós adquirirmos conhecimentos isentos de verdade, diferente da nossa mídia tradicional. Parabéns, Ana Paula.

  4. Costumo dizer a tempos, que quando o povo brasileiro se preocupar tanta com politica quanto com futebol, será o momento em que começaremos a deixar para traz qualquer vestígio dessa politica esquerdizada. Parabéns Ana Paula, espero que você seja um exemplo e uma inspiração para tantos que vivem alienados nesse nosso querido Brasil que outrora foi varonil.

  5. Ana Paula , alem de bela , inteligente , verdadeira e que deu muitas alegrias ao esporte , é alguem que quer ajudar os brasileiros a abrirem os olhos para esse mundo podre politico , juridico e empresarial em que vivemos . Estou com ela .

  6. Eu andava desconfiado com os rumos da política de Obama mas agora meus anseios foram revelados com esta otima observação retratada por ilustre personalidade do esporte; que o politicamente correto seja a trave nos olhos daqueles que omitem a verdade e manipulam os incautos.

  7. Que bom saber que nós brasileiros temos pessoas como ela, outros e outras, longe daquele estereótipo da “loraburra”!
    Meus parabéns!

  8. Muito legal ver a excelente atleta se tornando uma colunista política. Mas o paradoxo é dizer que temos que nos afastar da visão apaixonada, enquanto ela já tem ojeriza por um prefeito que ela já bota o carimbo de esquerdista sem muitos dados concretos. Quantos ao aumento de imposto que ela cita, precisamos de dados pra saber se são só tributos municipais. Boa sorte, Ana Paula, no novo desafio! Mas é muito difícil acreditar que exista esquerda nos EUA…

  9. Já que estamos falando de abandonar as visões binárias, o que concordo totalmente, que tal acabarmos com ESQUERDA e DIREITA também? Aí sim estaremos falando de amadurecimento político real…

  10. Olhem …

    Para aqueles que como eu acompanharam a Ana Paula, torcendo par que fizesse seus pontos em quadra e, depois, na areia, é uma surpresa vê-la tão desenvolta na seara dos comentaristas políticos. Não uma surpresa qualquer: uma ÓTIMA, GRATIFICANTE SURPRESA!!!

    Nesse seu texto de estreia, destaco a excelente concatenação de ideias, a concisão, a objetividade e o vocabulário que demonstram um hábito de leituras já há muito consolidado. Texto muito bem escrito.

    E para coroar tudo muito bem: a Ana Paula está do nosso lado, contrariando os lixos da esquerda, tão preocupados com o que ela vai abordar no seu espaço, como se fosse o cúmulo comentar os meandros da política do país mais poderoso do mundo, assim como as deformidades sociais que se verificam por lá e acabam, no fim das contas, repercutindo por estas bandas. Aliás, interessante: a Ana Paula não pode comentar (diferente de “se meter em”) a política americana, mas a grande mídia deste país se serve dum magote de “entendidos” despejando ódio esquerdista contra o presidente Trump e os “conservadores malvados” que o apoiam. Aí, pode, né?

  11. Enfim .. um ícone do espore brasileiro.. uma inteligência… uma imparcialidade .. uma mulher… dizendo aquilo que gostaria de falar … com mais acréscimos de conhecimento e propriedade!!! Vou seguir…

  12. Excelente artigo Ana Paula, meus cumprimentos. É preciso desmascarar essa ditadura do politicamente correto e ler um artigo com o seu é um alento. Go Ana Paula!

Deixe uma resposta