Moro acaba com a moleza e determina que triplex do Guarujá não pode servir como garantia em processos cíveis

O juiz Sergio Moro comunicou à 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo o  confisco do tríplex 164-A do Condomínio Solaris, em Guarujá, e solicitou que o bem não sirva mais como garantia em processos cíveis.

Naquela instância da Justiça paulista tramita o processo de recuperação judicial da OAS. O processo está avaliado em R$ 9,2 bilhões. Na sentença que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e seis meses de prisão, Moro concluiu que o imóvel pertencia ao ex-presidente. O petista continua mentindo e afirma que não é o proprietário do tríplex e está recorrendo da condenação.

A informação é do Expresso Época.

Anúncios

2 comentários sobre “Moro acaba com a moleza e determina que triplex do Guarujá não pode servir como garantia em processos cíveis

Deixe uma resposta