Durante conferência nos EUA, hackers invadem urnas eletrônicas em questão de minutos

Durante uma conferência que ocorreu em Las Vegas, EUA, no final do mês de julho, hackers levaram apenas 1h30 para burlar o sistema eleitoral através de urnas eletrônicas.

Para abordar questões de integridade e segurança das eleições, a Def Con criou a “Vila da Máquina de Votação”, onde foram colocadas 30 urnas eletrônicas usadas para computação de votos nos estados norte-americanos. O objetivo do projeto era que os participantes procurassem as vulnerabilidades do sistema, ou seja, brechas para alteração de resultados. Os hackers da Def Con levaram apenas 90 minutos para burlar todas as máquinas.

Uma das coisas que conseguiram foi o controle total do equipamento que armazena assinaturas e cédulas de cidadãos.

O especialista em cibersegurança da Universidade de Chicago, Jake Braun, comentou: “Sem dúvida, nossos sistemas eleitorais são fracos e suscetíveis. Agradeço aos contribuintes da comunidade hacker, hoje descobrimos mais detalhes sobre isso. O assustador é que nós também sabemos que nossos adversários estrangeiros — incluindo a Rússia, Coreia do Norte e Irã — possuem a capacidade de realizar estes hacks, dentro de um processo para minar os princípios da democracia e ameaçar nossa segurança nacional”.

Anúncios

16 comentários sobre “Durante conferência nos EUA, hackers invadem urnas eletrônicas em questão de minutos

  1. Nenhuma surpresa aqui. Nós precisamos ter o nosso voto impresso. Se Gilmar Mendes está colocando tanta dificuldade nessa questão é porque, eles tem o interesse de mudar o resultado das eleições caso não os agrade.

  2. Urnas Americanas, com conectividade na internet.
    As nossas apenas a transmissão é pela internet, mas a máquina já emitiu um relatório antes.
    Não é a mesma coisa. Não estou dizendo que as nossas são totalmente segura, nas o cara precisa ter acesso físico ao equipamento para fraudar a eleição.

  3. As nossas emite dois relatórios importantes. Um antes de iniciar, que tem o nome de zerezima , onde todos fiscais de partidos assinam e comprovante que não existe nenhum voto na urna e ao final da votação, antes de ser retirado o cartão com os votos, que apresenta o resultado das eleições naquela urna e que também vai assinados por todos os fiscais. Pode até pintar uma fraude. Mais aí é lá em Brasília, na consolidação. Então o problema não é na urna.

  4. Cédula de voto tem que ser no papel. Urna é um meio de se fraudar, Urna é um meio de analfabeto votar….Analfabeto é como papagaio, fala o que seu dono quer

Deixe uma resposta