Nagib ganha na Justiça contra dono do Colégio Bandeirantes que o chamou de fascista

O advogado Miguel Nagib, autor do projeto Escola Sem Partido e líder deste mesmo movimento, processou Mauro de Salles Aguiar – diretor-presidente do Colégio Bandeirantes – por tê-lo chamado de fascista durante debate na Folha de São Paulo. O debate ocorreu no ano passado e o vídeo pode ser visto abaixo:

Mauro de Salles Aguiar chama o projeto de autoritário e, em certo ponto do debate, perde a cabeça e começa a atacar Miguel Nagib. Surpreendentemente, Nagib fez algo que normalmente os direitistas não fazem: ele processou seu acusador e, o mais importante, venceu.

Sim, Nagib ganhou na justiça e gerou uma jurisprudência importante. O juiz José Zoéga Coelho considerou válida a queixa prestada por ele contra Mauro, e este foi sentenciado a pagar uma multa de 40 salários mínimos por crime de injúria. Cabe recurso.

Para conferir a sentença, clique no link abaixo:

Sentença favorável a Miguel Nagib

Anúncios

8 comentários sobre “Nagib ganha na Justiça contra dono do Colégio Bandeirantes que o chamou de fascista

  1. Bem típico dos esquerdistas, sabem que no debate perdem aí partem para agressão. Esses comunistas/socialistas odeiam ser desmascarados com a verdade. A verdade, no fim, sempre é a maior inimiga deles.

  2. tem que processar esta turma. eu venho falando isto. doendo nno bolso eles vão aprender a não falar merda. . .facismo é um tipo de governança.. onde o governo centraliza decisões…e controllla a produção. a industria. etc.. mussulini usou do facismo… ou seja quem chama o outro de facista é que é o verdadeiro facista….

  3. o estrago desta doutrinação nas escolas. vai demorar decadas para ser reparado.. quem saiu sabendo falar de partido saiu sem saber matemática. portugues. etc.

  4. Ainda bem que não coloquei minha filha no Bandeirantes. Seria muito dinheiro jogado fora. Pra ela ser doutrinada, mais barato por em escola pública (não, ela não está em escola pública, mas numa particular onde doutrinadores são mandados embora na segunda reclamação de pais ou alunos).

    1. Ow mano, dá uma lida mais a finco, a sentença estipula pagamento MÍNIMO de 40 salários mínimos, com multa de 4 salários mínimos por dia. Se o “diretor” da escola- que segundo o documento da sentença tem renda mensal de R$100.000,00, recorrer, vai estar acumulando multa e se perder ao recorrer, vai ter que pagar muuuito mais

Deixe uma resposta