Fiasco eleitoral de Maduro comprova: Quase 88% dos venezuelanos são escravos do regime

A oposição venezuelana convocou protestos para esta segunda (31) e quarta-feira (2) contra a eleição de uma Assembleia Constituinte, que ocorreu neste domingo (30). Dez pessoas morreram durante a votação e ao menos 58 foram detidas.

O oposicionista Henrique Capriles afirmou que haverá marchas em todo o país contra o “massacre” e a “fraude” que teria sido a votação convocada pelo presidente Nicolás Maduro.

Enquanto o governo diz que 8 milhões de venezuelanos foram às urnas eleger os deputados que redigirão a nova Constituição (ou 41,53% dos eleitores venezuelanos, segundo o Conselho Nacional Eleitoral), a oposição afirma que foram 2,5 milhões (12,4% de participação, segundo a coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática).

 

“A ratificação de que este foi um dia tétrico foi o exíguo comparecimento dos venezuelanos, em um processo do qual apenas o governo participou. Que legitimidade pode ter um processo, em que houve uma abstenção de quase 88%?”, questionou Ramos Allup, deputado e ex-líder parlamentar, em entrevista coletiva.

A oposição teme que uma nova Constituição torne o governo mais autoritário, crie regras que persigam a oposição e prolongue o mandato de Maduro. Novas eleições presidenciais estão previstas para o final de 2018. Já as eleições regionais e municipais deveriam ter ocorrido no final de 2016, mas continuam pendentes.

Anúncios

Um comentário sobre “Fiasco eleitoral de Maduro comprova: Quase 88% dos venezuelanos são escravos do regime

Deixe uma resposta