Até a União Européia rejeita a barbárie e diz que Constituinte só vai ampliar a crise no país

Nesta segunda-feira, 30, a União Europeia condenou a Assembleia Constituinte eleita na Venezuela e declarou que ela “não pode ser parte da solução”. Também condenou o desproporcional uso de forças no dia da votação.

“Uma Assembleia Constituinte, eleita em condições duvidosas e com frequentes circunstâncias violentas não pode ser parte da solução. Aumentou a divisão e deslegitimará mais as instituições eleitas democraticamente na Venezuela”, disse em comunicado um porta-voz do Serviço de Ação Exterior da UE.

Antonio Tajani, presidente do Parlamento Europeu, afirmou que a instituição não irá reconhecer a Assembleia Constituinte e que “a comunidade internacional não pode continuar calada frente a tantos mortos na Venezuela”.

“Está muito claro que o regime atual está se aferrando ao poder. A vontade do povo é mudar de regime. Por isso é necessário fazer eleições já”, defendeu Tajani.

Anúncios

Deixe uma resposta